Em trânsito

Agora1

Nunca quis repetir meus passos

Não quero voltar, retroceder, refazer trajetória.

Cultuo o passado para seguir em frente;

Sem renegar, evito reviver

Tendo o que passou como lastro.

Nada do que foi é melhor daquilo que tenho

Nada é mais bonito, mais gostoso

Posto que o que tive, o que fui,

Não é nada. Nada mais. Já era.

Prefiro construir a lamentar

Fazer o que é lícito permanecer

Tentar novos rumos aos desvios do presente.

Reconhecer que sou porque fui

E, assim, do que passou sou feito.

Ouço canções que permanecem acima do tempo.

Leio o que não se esgota ao atravessar gerações.

Descubro formas, cores, ressignifico imagens.

Celebro sempre o que está vivo.

Quero me unir ao tempo

Sem ontem, nem amanhã, viver o agora

Para um dia, junto a terra, ser a terra;

Apenas isso.

Valdo Resende, Julho 2015

2 comentários sobre “Em trânsito

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s