Elis Regina no Carnaval de São Paulo

O carnaval de São Paulo e Rio de Janeiro já tornou público o resultado dos desfiles. Vai-Vai e Beija-Flor são as escolas de samba campeãs do carnaval de 2015. Trabalhando no sambódromo paulistano, pouco vi dos desfiles no Rio, exceto alguns momentos e, entre esses, tive o privilégio de assistir a apresentação da comissão de frente da Salgueiro. Algo para guardar “no lado esquerdo do peito”.

A citação de “Canção da América”, acima, não é por acaso. O ápice do samba de enredo da Vai-Vai, campeã paulista, é um vocalise de “Maria, Maria” cantada de forma emocionante pela plateia presente. As duas canções são de Milton Nascimento e Fernando Brant. Elis Regina, mais uma vez, foi devidamente homenageada pelo povo de São Paulo.

O embate no Sambódromo paulistano foi duro. Dragões da Real, Acadêmicos do Tucuruvi e Gaviões da Fiel estão entre as escolas memoráveis deste carnaval. O embate maior foi entre a Vai-Vai, com enredo homenageando Elis Regina e a Mocidade Alegre que levou Marília Pêra para receber merecidos aplausos pela longa e brilhante carreira.

Vou ficar nas duas mulheres. Duas grandes estrelas. Levarei por todo o sempre a lembrança de Marília Pêra, soberba, acenando e agradecendo ao público. Estava linda, majestosa, buscando dirigir-se para todas as direções, saudando toda a plateia. Uma mulher e tanto! Uma atriz cujos trabalhos e personagens identificavam carros alegóricos e alas inteiras.

Lá pelas tantas da madrugada anunciaram a entrada da Vai-Vai. A voz de Elis Regina tomou conta do ambiente e só depois entrou o samba de enredo. Não mostraram toda a cena na TV. A televisão busca “famosos” e “desnudos”, irritando muito ao colocar um espectador qualquer ou uma agressiva e desrespeitosa mensagem comercial enquanto passa uma escola. Gravei, mesmo que precariamente, para presentear uma amiga e pude registrar os momentos iniciais quando, mesmo com a passarela vazia, reviveu-se o mito e Elis Regina tomou conta do Sambódromo.

Creio que Marília Pera, sábia como é, deve estar feliz com a disputa, ponto a ponto, com Elis Regina. Penso que a cantora Marília reverencie a cantora Elis e a memória de tudo o que ela representa para o Brasil. Espero que passadas as emoções do resultado permaneça o reconhecimento de toda São Paulo para com a grande cantora brasileira.

O vídeo acima registra o momento em que os portões do Sambódromo foram abertos e a Vai-Vai cantou, com todo o povo, “Simplesmente Elis – A fábula de uma voz na transversal do tempo”.  O próximo, para terminar este post, registra a passagem de Elis, ao lado de Adoniran Barbosa, pelas ruas da Bela Vista, o nosso adorado Bexiga.

E agora sim, passado o carnaval, Feliz Ano Novo!

Até mais.

No carnaval de SP há samba para gente bamba

Qual a boa para esse carnaval? Penso não ser ruim da cabeça, nem doente do pé, logo, lembrando a canção, sou bom sujeito, do tipo que curte samba de montão. De todos os sambas possíveis, chegou a hora do samba de enredo. A verdadeira essência e razão de ser de uma escola de samba: a música que faz o povo cantar e dançar.

Samba de enredo é a coisa mais democrática do mundo musical. Há sempre um verso para um compositor. Há momentos em que penso que deve ter marmanjo que só colocou um “laraiala, lala”. Sem diminuir o sujeito; quem conhece samba sabe a importância de um “laraiala, lala”. Quero ficar distante de um tratado sobre sambas de enredo. O negócio é cantar e, para começar o carnaval, a boa deste post é destacar três sambas de enredo, criação de 14 compositores (Olha a democracia aí, gente!) para gente bamba do carnaval de São Paulo neste ano de 2013.

Beth Carvalho é homenageada pela Acadêmicos do Tatuapé
Beth Carvalho é homenageada pela Acadêmicos do Tatuapé

Gente bamba é Beth Carvalho, que será homenageada pela escola “Acadêmicos do Tatuapé”. A sambista carioca já lançou tantos artistas que é carinhosamente chamada de “madrinha do samba”. É comum ver gente como Zeca Pagodinho, por exemplo, pedindo a benção para a cantora.

A “Acadêmicos do Tatuapé” abre o desfile do dia 8, sexta-feira com “Beth Carvalho, a madrinha do samba”, samba que será interpretado por Vaguinho. Os compositores André Ricardo, Luciano Oliveira e Vaguinho conseguiram sintetizar a vida de Beth Carvalho, citando elementos conhecidos pelo grande público; isso facilitará que todos cantem com a escola.

… Em suas andanças por Mangueira (me leva, amor)
Cantou “Folhas secas” para emocionar
“As rosas não falam”, exalam perfume no ar
Um grito de gol, explode a paixão
Botafogo no seu coração…

João Nogueira é tema para o carnaval da Águia de Ouro
João Nogueira é tema para o carnaval da Águia de Ouro

Tão bamba quanto Beth, o compositor e cantor João Nogueira é enredo para a “Águias de Ouro”, 7ª escola do primeiro dia do grupo especial de São Paulo. João Nogueira é criador de sambas incríveis, gravados por ele mesmo e por intérpretes geniais como Elis Regina (Eu, hein, rosa!, Clara Nunes (As Forças da Natureza) ou Alcione (Um ser de luz).

Um dos principais parceiros de Paulo César Pinheiro, João Nogueira deixou um legado imenso, devidamente reverenciado pelo filho, o cantor Diogo Nogueira. Junto com Ciraninho, Rafinha, Leandro e Serginho Castro, Diogo Nogueira também assina o samba de enredo da “Águias de Ouro”: “Minha missão. O canto do Povo. João Nogueira”. O samba é magnificamente interpretado por Serginho do Porto.

…João, teu nome é história
O Canto do Povo te faz imortal
Ninguém faz samba só porque prefere
É Nó na Madeira o meu carnaval…

Inesquecível Mazzaropi, homenageado pela Acadêmicos do Tucuruvi
Inesquecível Mazzaropi, homenageado pela Acadêmicos do Tucuruvi

Bamba, como bem se sabe, não é característica exclusiva de sambista; alguém duvida que Mazzaropi seja um bamba? A “Acadêmicos do Tucuruvi” será a 6ª escola do dia 9 de fevereiro no sambódromo paulistano. “Mazzaropi: o adorável caipira. 100 anos de alegria” é o enredo da escola, com samba criado por Felipe Mendonça, Maurício Pito, Leandro Franja, Márcio Alemão, Henrique Barba e Fábio Jelleya. O intérprete é Ivo Sorriso.

Mazzaropi é figura ímpar na história do cinema brasileiro. Grande comediante, ele soube gerenciar como poucos a própria carreira tornando-se também produtor e diretor de seus filmes, normalmente rodados em estúdio próprio, no interior paulista. Além de participar na criação de roteiros, Mazzaropi também foi compositor, sempre cantando em seus filmes.

…A carrocinha levou o gado da madame
Vendedor de linguiça não vende salame
O Jeca Tatu não é puritano… Há! Há!Há!
Ele é corintiano…

“Acadêmicos do Tatuapé”, “Águia de Ouro” e “Acadêmicos do Tucuruvi” têm uma grande vantagem levando para o desfile artistas amados, respeitados e bastante conhecidos por todo o público. Este é o outro lado da moeda: sendo conhecidos, todos nós temos uma visão própria do que seria um enredo sobre esses três artistas; daí o desafio das escolas que tentarão corresponder às nossas expectativas.

Samba para gente bamba. “- Gente bamba para mais de metro”, diria meu pai! Há um imenso mundo envolvendo Beth Carvalho, João Nogueira e Mazzaropi. Uma vastidão criativa também está no potencial de compositores, ritmistas, passistas, carnavalescos, e demais participantes dessas escolas de samba. Teremos, com certeza, um grande carnaval.

.

Boa semana para todos!

.