O carnaval paulistano é animal

De pinguim a pelicano, tem quase de tudo no sambódromo. Tem animais fofinhos, tipo os ursinhos e também os mitológicos dragões. Vi muitas andorinhas, que os “teóricos” me matarão ao escrever isso, que é imagem sacra que lembra as festas do Divino Pai Eterno. Cobra, pavão, cavalo, boi… Eu não acho, tenho certeza que não vi um gatinho; nem mesmo o cachorro, reconhecido melhor amigo do homem. Há ferozes tigres e pássaros, muitos pássaros, para contrabalancear a festa.

Impressionaram os tigres da escola Império da Casa Verde; tinham movimento, mas não foram além do que já tenha sido mostrado no sambódromo. Gostei mais dos peixes da Pérola Negra. Embora “fora d’água”, mostraram o trabalho primoroso do artesão da escola.

Há imagens completamente inusitadas. Isso é bom, surpreende. Quando os ratinhos de laboratório, engaiolados, passaram por nós, fiquei admirando a ousadia do carnavalesco e o incrível domínio técnico do artesão que esculpe com precisão todo tipo de pássaro, mamíferos e outros animais, tornados mitológicos, como o cavalo de São Jorge matando o dragão; esta foi uma das melhores esculturas que passaram no sambódromo neste ano; a casinha, no topo do carro, identifica o Império da Casa Verde.

Uma escola deu um show à parte: a Águia de Ouro surpreendeu e consegui, não com a qualidade que gostaria, montar uma “fotonovela” com o show que a escola nos proporcionou na avenida:

.

.

O sambódromo é um local onde o público paga o ingresso inteiro e vê o show pela metade, já que as escolas fazem uma coisa em cada setor da avenida. Nós, que estávamos no começo, vimos quando a águia raptou o integrante da passarela. O que a ave fez com o cidadão, saberemos depois, em casa, rezando para que a televisão mostre alguma coisa; se é que irão reprisar as apresentações das escolas de samba paulistanas.

Finalmente, terminando o “mundo animal do carnaval 2012”, o carro alegórico sobre o dorso da tartaruga; ou seria cágado? Brincadeiras à parte, a Mocidade Alegre fez um grande carnaval neste ano. Uma apresentação digna da obra e do homenageado Jorge Amado e, por isso, minhas homenagens aos integrantes da escola.

É ou não é animal o nosso delicioso carnaval paulistano?

Boa terça para todos!

.

Gente que trabalha… no carnaval

A festa é linda, emocionante. Vamos agradecer e lembrar algumas categorias de profissionais fundamentais para que todos sejamos felizes:

O pessoal que chega primeiro, limpando, pintando, iluminando. Há o pessoal da segurança, técnicos, câmeras, que fazem tudo direitinho para que tenhamos uma festa legal.

Os integrantes de cada escola que somam forças, em verde, branco, preto, amarelo, azul, em todas as cores, com um despojamento invejável e com a alegria de levar a beleza da própria escola para que todos vejam.

Muita força física, muita atenção, muito esforço mental, de pessoas apaixonadas pelo samba, pela escola…

…como esse cidadão, que não mede esforço físico ao longo de toda a passarela do samba. Um esforço extraordinário, uma entrega sem limites. Como será o nome desse incrível integrante da Vai-Vai

sambódromo, carnaval, 2012

Há os cinegrafistas, os excelentes fotógrafos que levam seus equipamentos complexos . Sobretudo, esses profissionais nos propiciam ótimas imagens. A moça aí parecia menor que a máquina, e subia em tudo quanto é grade buscando o melhor momento, o melhor ângulo. As fotos deste post foram feitas por mim, que não sou fotógrafo e que não tenho uma “maquinona desse tamanhão”!

Finalmente, pedindo desculpas aos cozinheiros, garçons, recepcionistas, porteiros, todo um monte de profissionais que não consegui fotografar, concluo lembrando o pessoal que será esquecido pelas melhores notas (O júri, acima em momento relax, com o cantor e ator Tiago Abravanel) e lembrados pelos décimos que impedirão uma agremiação de ganhar um campeonato…

e deixo registrado aqui meu agradecimento carinhoso para Priscila Cirino, que me possibilitou este trabalho delicioso.

Até!