O Vai e Vem da Memória, de Valdo Resende, é convite para uma viagem de descobertas: se corajoso o suficiente para embarcar, o leitor se surpreende e se transforma.

Por Simone Gonzalez

“Esse ir e vir também alude aos trens nos trilhos da Mogiana”

Em As Cidades Invisíveis, de Ítalo Calvino, o imperador mongol Kublai Khan exige que o aventureiro Marco Polo descreva as diversas cidades pelas quais ele supostamente teria passado. Visto que negar algo a Kublai Khan provavelmente lhe custaria a vida, Marco Polo esmera-se em narrativas que criam cidades, alimentando o imaginário do imperador. Em As Mil e Uma Noites, Sherazade também teve de fazer o mesmo: contar histórias de reinos distantes para envolver o rei em suas narrativas e preservar a própria sobrevivência.

ValdoResende, autor de O Vai e Vem da Memória, não compõe sua obra subjugado aos desígnios de um tirano, mas por meio dela certamente imortaliza a sua história e a da cidade de Uberaba, em Minas Gerais. O livro apresenta uma tessitura de contos que compõem, aos poucos e sensivelmente, a história de uma vida: a vida de um brasileiro migrante, contexto que nos é tão familiar, mas sobre o qual raramente refletimos. A obra nos traz, portanto, a oportunidade de reflexão e de reencontro com nossas origens.

Valdo Resende toma o leitor pela mão e a viagem pela cidade de Uberaba começa. Sem compromisso temporal, somos envolvidos pelas memórias do autor que acabam se misturando com nossas próprias narrativas.

A acuidade descritiva de Valdo ressalta a delicadeza do seu olhar para cada detalhe: de um poste de luz ao igualmente iluminado olhar da professora de infância; da intimidade dos quintais à popularidade nacional dos compositores e artistas uberabenses; do prato de família, à gastronomia e festas internacionalmente apreciadas.

O vai e vem não diz respeito apenas à memória de Valdo Resende. Esse ir e vir também alude aos trens nos trilhos da Mogiana, ao circo que chegava e partia da cidade, às idas e vindas dos turistas em busca das palavras de esperança de Chico Xavier. São movimentos que embalam o leitor por meio de uma linguagem peculiarmente bairrista, extraordinariamente universal. É a habilidade de expressão do autor que propicia uma relação afetiva do leitor com os espaços e personagens de Uberaba e com os laços e nós das cidades que remontam nossas próprias histórias e memórias, pois quase todo brasileiro é migrante e tem, em terras alhures, rastros de seu sangue.

A obra de Valdo Resende é, pois, uma celebração à vida de quem não teme caminhar porque faz de seus percursos e memórias a construção de sua identidade.

Serviço:

O vai e vem da memória – Valdo Resende
ISBN 978-65-00-00287-4
Elipse – 312 páginas – R$ 65,00

Evento de lançamentos:
27 de novembro/2021 – 16h00 às 18h00
Barroco Arte Café – Rua João Pinheiro, 213
Uberaba – MG

04 de dezembro/2021 – 15h00 às 18h00
Portella Bar
Rua Professor Sebastião Soares de Faria, 61 –
Bela Vista – São Paulo – SP

%d blogueiros gostam disto: