Eu nasci assim… com a coragem de quebrar padrões

sonia braga

A foto de Sonia Braga na Vogue online me leva a lembrar Caymmi com sua “Modinha para Gabriela”: Eu nasci assim, eu cresci assim, e sou mesmo assim, vou ser sempre assim… Um alvoroço na internet com a capa da revista. Tive a paciência de ler comentários prós e contras e, esses últimos, com frequência notável vindo de mulheres. “Ela precisa se cuidar!” é o subtexto da maioria. Mas, caso Sonia Braga fosse como as outras mulheres…

Algumas mulheres, e este post é dedicado a elas, são extraordinariamente criativas, levam a vida com o maior sucesso e decidiram ser como são. Sem grandes arroubos na tentativa de enganar o tempo. Cá para nós, ninguém ludibria o tempo. Exercendo o sagrado direito de pintar cabelo, fazer plásticas por todo o corpo, colocar pequenos detalhes postiços, não enganamos o tempo. Nos sentimos bem. Mas Sonia Braga…

nasci assim

Sonia Braga, Laura Cardoso, Fernanda Montenegro e Maria Bethânia são exemplos da contramão do aparente estabelecido. Como essas mulheres se cuidam? Recordo uma entrevista de Fernanda Montenegro para Marília Gabriela: “- Tomo banho todo dia, alguns não tomam!” Maria Bethânia, em recente entrevista ao programa do Pedro Bial confessou ter feito plástica nos seios. Laura Cardoso nunca fez plástica.

Essas mulheres são profissionais notáveis, de ponta, que frequentemente são incomodadas por pessoas do tipo que chamam a primeira dama francesa de feia, ou por outras, dessas que escondem a idade, evidenciando um inexplicável medo do tempo. É preciso uma coragem fora do comum para escrever um livro com a palavra epílogo no título. Fernanda Montenegro escreveu, dando clara alusão ao tempo que finda, a uma história que cessa. Essa gente, que teme a ação do tempo, deve ficar apavorada com o que a palavra epílogo sugere.

Maria Bethânia, lá atrás, deu voz a versos de Caetano Veloso: “… o amor tudo levou, o outono chegou, mas o dom da primavera ninguém vai me tirar, hoje eu estou pronta pra cantar!”. E continua cantando, e vai cantar sempre, lindamente. Tanto quanto Fernanda Montenegro e Laura Cardoso em novelas recentes e Sonia Braga, em Bacurau. Vou guardar na lembrança a cena em que Fernanda desatina e mata três em uma única cena, assim como não esquecerei Laura Cardoso brincando de ser abusada e prostituta.

Algumas crenças nos limitam; a da eterna juventude é uma delas. É encarando o tempo que convivemos com possibilidades e limites. Esses mesmos limites que, quando jovens, foram outros. O que vale, em todo e qualquer tempo, é nossa capacidade de aprender, de entender, compartilhar. Parar no tempo, no padrão “lindo e jovem” é alimentar medos; de que o cabelo caia, fique branco, que as rugas tomem conta, os músculos amoleçam e o corpo despenque. Todo o cuidado com o corpo e com a saúde é necessário; de preferência que seja realista, pois assim esse cuidado será maior. Eu nasci assim, me diz a foto de Sonia Braga. E eu completo, como se fosse ela: Vivi e estou assim. E só estou assim porque vivi. E mudo quando quiser.

Há pessoas que estão em constante luta para manter e expandir um espírito criativo. Não param e não se assustam com o tempo. Seguem em frente, com um jeito invejável de ser. Essas quatro mulheres se cuidam mais que, provavelmente, a maioria de todos nós. Cuidam da cabeça, lutam por coerência, por direito, liberdade, honra, dignidade. Mais que elogios, querem reconhecimento e exercer o livre arbítrio quanto ao que usar, como usar e, sobretudo, o que fazer. Por isso são grandes criativas, por isso são estrelas. E cabe a nós aprender com elas.

Até mais!

.

Nota: As fotos que ilustram este post foram colhidas na internet, divulgando trabalhos das artistas citadas.

Siga este blog. Curta e compartilhe.

.

CRIATIVIDADE E INOVAÇÃO NO AMBIENTE CORPORATIVO veja em www.competency,com.br.

 

Outras lições de Dona Fernanda Montenegro

fernanda-montenegro

Aprende-se muito com uma atriz como Fernanda Montenegro. A entrevista de hoje, por si, tem uma consistência fora do comum. Pincei  algumas frases que não devem ser esquecidas:

Todo velho tem uma zona de maluquera”.  

Sou um ser que nasceu pra me desdobrar em filhos.”

 “Viver é uma prova dos diabos.”

 “Não lamentar a vida.”

 “Eu não quero perder minha memória. Eu sou a minha memória”.

Foi sempre assim; ao longo de muitos anos guardei algumas frases, algumas atitudes de Fernanda Montenegro que me fizeram, além de respeitar profundamente a atriz, admirar a mulher, a Arlete que não conheço, mas que aparece nas ações da pessoa pública. Vou recordar, neste texto, aquilo que guardei na memória sobre Fernanda Montenegro.

Em um “Frente a frente”, Marília Gabriela perguntou o que a atriz, visivelmente bem cuidada, faz para manter-se bem. Fernanda Montenegro não titubeou: “- Eu tomo banho!”. A apresentadora fez menção de afirmar ser óbvio e a atriz continuou lembrando que muita gente não toma… Estive outro dia em uma festa. Recordei essa entrevista quando fui abraçado por alguém que, embora fosse dia de festa, não cheirava nada bem. A estampa era boa, à distância tudo parecia bem. Mas, faltou o banho…

Outra sábia lição da nossa grande atriz: Convidada para ser Ministra do Presidente José Sarney, recusou afirmando em carta não ser essa (a carreira de política profissional) a sua vocação. Fernanda Montenegro poderia ter sucumbido à vaidade e demais facilidades de uma vida no centro do poder. Preferiu o palco onde recebe justo reconhecimento e não precisa de bajulações. E quando se faz necessário, une-se à classe artística para reivindicar direitos.

fernanda-montenegro-doce-de-mae como picucha
Como Picucha, em Doce de Mãe. Trabalho premiado.

O nome da atriz, nas produções Globais, sempre aparece por último. Nunca vi nenhum contrato, mas sou do tempo em que as emissoras cortavam as chamadas, os créditos anunciando os atores, aumentando o tempo de comerciais. Li que Fernanda Montenegro só assina contratos quando aceitam a exigência do nome dela por último, o contratante correndo o risco de multa caso isso não ocorra. Um meio eficaz de usar o próprio prestígio para favorecer aos colegas de classe.

Esta outra lição eu assisti, durante um programa de Hebe Camargo. Beatriz Segall, que nunca foi simpática, lamentou o assédio do público, perguntando às colegas presentes (Fernanda Montenegro, Tonia Carrero e outras) se elas também se irritavam com pedidos de fotos e autógrafos. Fernanda foi incisiva, deixando claro que deve o sucesso e a própria carreira ao público e que o mínimo que um ator pode fazer é ser gentil com quem o aplaude.

Outra grande atriz, Bibi Ferreira, nunca fez novela. Sempre criticou ou deixou nas entrelinhas que o folhetim televisivo é algo menor. Em dado momento, Fernanda Montenegro afirmou: “-Sou uma atriz do meu tempo”, deixando evidente que a televisão é um meio deste tempo, assim como é o cinema, o teatro. Ao evidenciar sintonia com o tempo em que vive, Fernanda Montenegro caminha à frente de muitos outros e não por acaso se tornou referência da profissão.

Há tantas lições de Fernanda Montenegro! A maior de todas, penso, está na própria maneira de viver, trabalhando! Em nosso país há muita gente que só pensa em aposentadoria, em ficar de papo pro ar bebendo cerveja, querendo “curtir a vida”, é a expressão mais comum. Nossa grande atriz, aos 84 anos, não pensa em parar. Vê pouco os netos, pois trabalha muito. “-Mas estamos aí, juntos”. O Emmy, que é apenas o prêmio mais recente, foi dedicado aos três netos.

Todo barulho é pouco para essa grande mulher. Salve, Dona Fernanda Montenegro! Obrigado por tantas lições de vida!

Boa semana para todos.

Nota:

(Veja toda a entrevista de hoje clicando aqui)