Três anos de “Um Profissional Para 2020”

Autores presentes no lançamento: Fernando Brengel, Victor Olszenski, Claudia Regina Bouman Olszenski, Vania Maria Lourenço Sanches, Valdo Resende e Vania de Toledo Piza
Autores presentes no lançamento: Fernando Brengel, Victor Olszenski, Claudia Regina Bouman Olszenski, Vânia Maria Lourenço Sanches, Valdo Resende e Vânia de Toledo Piza

Há três anos, exatamente no dia 19 de setembro de 2012 lançávamos, na Livraria Martins Fontes o livro “Um Profissional para 2020” pela B4 Editores. Naquele dia, depois de um exaustivo trabalho que durou muitos meses, estávamos prontos para o teste vital: o encontro com o público.

De lá para cá tenho tido muitos bons momentos em função deste trabalho e creio que minha vida, assim como a de meus companheiros, tomou cores diferenciadas com esse lançamento. Pensei e tenho certeza do quão é necessário agradecer.

Organizei o livro “Um Profissional para 2020” e contei com preciosas colaborações. De Claudia Regina Bouman Olszenski a calma e firmeza na hora de decidir; de Victor Olszenski a capacidade de negociar com diplomacia impecável e de Fernando Brengel, através da Presença Propaganda, uma incrível divulgação que colocou o livro em grande destaque nas mídias sociais.

O elenco de autores completa-se com Carlos Eduardo Costa, Elen Gongora Moreira, Luís Américo Tancsik, Regina Cavalieri, Vania de Toledo Piza e Vania Maria Lourenço Sanches, mais nosso caríssimo prefacista, Mitsuru Higuchi Yanaze. Quero lembrar e registrar as colaborações de Kelly Cristiane Silva (auxiliando Regina Cavalieri) e Regina Ferreira Luppi (participando na pesquisa que deu origem ao capítulo sobre “O comportamento nas redes sociais”).

Outros colaboradores não devem ser esquecidos. Fátima Borges, nossa revisora; Adriana de Aguiar Silva, apoiando-nos com materiais gráficos; Cadu Blanco, nosso primeiro contato com os editores e Marta Blanco, que apoiou-nos incondicionalmente para a concretização do projeto.

Uma, entre as belas  peças criadas pela Presença Propaganda, sob direção de Fernando Brengel
Uma, entre as belas peças criadas pela Presença Propaganda, sob direção de Fernando Brengel

Meus mais sinceros e profundos agradecimentos aos parceiros, amigos, conhecidos, aos profissionais envolvidos – perdoem se a memória falhou e alguém não foi citado – por esse trabalho do qual me orgulho muito. Gratidão é a palavra que sintetiza esse momento e momentos posteriores, para todos aqueles que dedicaram parcela do próprio tempo para ler cada capítulo do nosso livro.

Nesta última semana dediquei algumas horas para retomar “Um Profissional Para 2020”. Constatei, sem qualquer receio de errar, que meus colegas acertaram o caminho com rara precisão. Nosso livro mantém-se atual nos temas abordados e certamente é ponto de partida para nortear todo jovem que pretende atuar nas áreas de marketing, publicidade e administração.

Por tudo isso, reitero agradecimentos e deixo aqui meu carinhoso abraço aos companheiros de jornada, torcendo sempre para que nosso trabalho possa resultar em caminho para os profissionais de amanhã.

Beijos carinhosos,

Valdo Resende

Somos dois, somos muitos

Fernando Brengel foi, há bastante tempo, um dos primeiros leitores de “dois meninos- limbo”, que será lançado no próximo sábado dia 13. Brengel colaborou com as primeiras revisões e, desde então, temos discutido muito sobre o livro. Diretor de criação na Presença Propaganda, ele é um redator de primeira e brindou-nos com um belo texto sobre “dois meninos – limbo”. Obrigado, Fernando Brengel!

Somos dois, somos muitos

 .

“O sonho vai sobre o tempo qual veleiro que flutua”

Assim que passem cinco anos, Federico García Lorca

 .

grupo

– Como esse menino lê bem!

– Ele é ótimo!

– Já fez alguma montagem?

– Acho que sim. E estuda jornalismo.

dois meninos, mas poderiam ser duas meninas, um menino e uma menina, um transex e um menino ou menina, poderiam ser muitos, todos juntos e misturados, desde que fossem seres repletos de amor à procura daquilo que só o amor é capaz: unir almas que passam a dividir sonhos, construir futuros.

– Ele não vai almoçar?

– Disse que tá enjoado … não quer.

– Tá meio pálido né?

– Um pouco. Vou pegar um sal de frutas.

dois meninos é um retrato bem acabado do que somos, das vísceras e vissicitudes do amor. das entranhas do desejo. da alegria efêmera e da dor que, graças a Deus, não se eterniza. das possibilidades de ser o que somos, da urgência de sairmos das penumbras de nossas vontades e dizer ao mundo: “sou pleno! tenho alguém!”

– Ele não veio. Será que não curtiu a gente?

– Não gostou do texto?

– O cara é genial!

– O que houve?

dois meninos é fúria, línguas, gozos, corpos que se completam, papos-cabeça, sorrisos, questionamentos, trajetórias que se passam na ribalta e no limbo da existência. destinos. sorte… sorte de quem lê dois meninos. de quem agora pode compreender melhor o tempo que ceifava sonhos de uma hora para outra.

– Não veio de novo!

– Gente, ele foi internado!

– O que ele tem?

– Não sei, vou no hospital.

dois meninos resgata as noites longas e os dias curtos, desnuda os contraditórios, expõe as várias faces do comportamento. uma viagem à liberdade respirada no instante em que se redescobria o Brasil, o sexo, a loucura, a cultura. caminhada esta que começa a perder a graça quando a aids dá as caras. im-pla-cá-vel.

– Emílio Ribas.

– Não é possível.

– É o quinto caso no Brasil.

– Quatro homens e uma mulher isolados.

dois meninos é obra de texto primoroso, de construção indireta, como a refletir o contrafluxo da vida. narrativa que deixa claro que só os navegantes mais corajosos são capazes de vencer a maré. prosa inteligente e bem costurada, pura poesia.

– Acabou.

– 22 anos.

– E agora?

– …

dois meninos é valdo resende. dono de imenso talento e incrível habilidade com os meandros do escrever, brinda-nos com descrições capazes de nos fazer flutuar, transportando-nos ao universo de tantos meninos, dos que estão e dos que se foram, em um romance de estreia que não deixa pergunta alguma no ar: sim!, vale a pena pena viver, de preferência, como um menino. uma menina. ou melhor, como gostamos de viver.

fernando brengel

 

nota: os diálogos incidentais foram reconstruídos a partir de fatos presenciados por mim.


.

____________________________________________________________________________________________________________________________

SERVIÇO

Lançamento romance: Dois Meninos – Limbo

ISBN 978-85—68591-00-0

Data: 13 de dezembro de 2014

Horário: 15h30 às 18h30

Preço: R$34,90

Local: Livraria Martins Fontes. Av. Paulista, 509 – São Paulo, SP telefone: 11 2167-9900 (próximo à Estação Brigadeiro do Metrô). Convênio com estacionamento: Rua Manoel da Nóbrega, 88 ou 95. Primeira hora R$7,00 nas compras acima de R$ 10,00.

“A festa é na avenida”

Atente para a mensagem da ilustração!
Creio ser pertinente, somar ao post, essa mensagem fundamental.

Se “a festa é na avenida”, como canta Arlindo Cruz, vamos desligar a TV, o computador e cair na folia. Nunca é demais alertar que avenida, no dito samba, é metáfora para todo espaço onde possamos brincar o carnaval. Se nem todos podem ir ao sambódromo, se há cidades onde não ocorrerão desfiles por falta de verbas e outros problemas, o jeito é apelar para a criatividade, a boa vontade e celebrar a alegria de viver.

Quem já esteve no Sambódromo, seja o de São Paulo ou o do Rio de Janeiro, sabe o quanto a transmissão da televisão é incompleta. Nossos caros profissionais, por mais que se esforcem, não conseguem ir além do óbvio. Enquanto as câmeras buscam mulheres bonitas, gente famosa, o detalhe inusitado, os apresentadores enchem nossos ouvidos com mesmices de todos os anos: É sempre perigoso o momento em que a bateria vai entrar no recuo; será que vai dar tempo da escola passar? Lá, encantados com o espetáculo, quando atingidos no âmago pelo desfile, nos esquecemos de tudo e somos felizes.

Estar em um desfile é permitir-se vivenciar a festa em plenitude; assistir, na arquibancada ou no camarote, é compactuar e interagir com todas as personagens do samba: a elegância da comissão de frente, a delicadeza refinada de mestre-sala e porta-bandeira, a técnica invejável do passista, a sensualidade gritante das cabrochas, o luxo dos destaques, o impecável artesanato das alegorias e, experiência única, o som absolutamente contagiante de uma bateria. A TV mostra por partes. No sambódromo ou na avenida, vivenciamos o todo.

“Atrás do trio elétrico só não vai quem já morreu”, diz outra canção, essa de Caetano Veloso. Se não vamos ao desfile da escola, há o trio elétrico, o bloco de rua. O samba ganha todos os espaços e permite a todos nós a alegria da criança, dona de si e da rua. Caminhamos apressados, tensos, por ruas e avenidas durante quase todo o ano. Corremos o risco de esquecer que trabalhamos tanto para que possamos brincar, confortavelmente, com nossos familiares, amigos e conhecidos. E brincar, aqui, é no sentido pleno de estar e ser feliz.

Nas ruas, ou praças, ou mesmo em botecos de esquina, esse é o momento para dançar frevo, sambar ou, simplesmente movimentar o corpo na cadência de uma marchinha. Há quem prefira os blocos gigantescos, na onda de uma Daniela Mercury ou com os Filhos de Gandhy na querida São Salvador; há os que começam com o Galo da Madrugada em Recife, após terem passado pelo Cordão do Bola Preta, no Rio de Janeiro. O melhor bloco é, sempre, aquele que a gente curte; eu, por exemplo, gosto do “Enterro dos ossos”, todo sábado após o carnaval, que encerra as atividades carnavalescas aqui do bairro.

Nem escola, nem bloco de rua? Ainda há bailes, dos mais sofisticados aos mais simples, com a criançada do condomínio, ou com os próprios familiares, afastando os móveis da sala. Permita-se brincar! Permita-se ser alegre, como o menino que dá uma rasante na avenida, com uma toalha amarrada ao pescoço, fingindo-se de Superman. Este é o verdadeiro espírito da festa carnavalesca; sair da rotina e brincar, de ser rei, sapo, rico, pescador, mulher gato, homem aranha… Na escola, no bloco, no salão do condomínio, a ordem é brincar e ser feliz.

.

Bom carnaval!

.

Nota: As peças que ilustram este post, é da Presença Propaganda. Grato ao Fernando Brengel, o folião mais animado da Vai-Vai!

É hoje o dia!

Muitos trabalhos são marcados por etapas muito distintas e, provavelmente, a melhor é aquela em que colhemos um primeiro fruto do esforço realizado. Hoje, por exemplo, minha casa está limpinha e sou profundamente grato a profissional que realizou essa tarefa. A maioria das pessoas é beneficiada por profissionais assim, que colhem imediatamente o resultado do trabalho: o pão matinal que nos alimenta; a condução que nos leva ao trabalho; o orador que nos orienta durante o culto religioso; e há, nesse aspecto, outros incontáveis serviços e ações.

Alguns acontecimentos levam mais tempo entre a preparação e realização: a festa de casamento, a conclusão de um curso, a estréia de uma peça de teatro ou de um filme… Um livro! Envolvendo diferentes pessoas na tarefa, acontecimentos assim têm caráter público tornando-se, por isso mesmo, motivos de festa. É essa a nossa festa! É hoje o dia!

Chegado o momento, os versos do grande samba de Almir da Ilha (É Hoje!) não saem da minha cabeça!

…É hoje o dia

Da alegria

E a tristeza não pode pensar em chegar!

Diga espelho meu!

Diga espelho meu se há na avenida alguém mais feliz que eu…

Mais feliz que eu, não sei. Tanto quanto é bem provável. Para um grupo de companheiros de jornada, essa data entra para a história. Nosso livro está pronto e estamos felizes. Temos vivido intensamente para ver esse objeto; logo mais estaremos dividindo nossa alegria com todos aqueles que têm acompanhado essa tarefa, alguns sendo parte essencial do projeto.

A B4 Editores nos acolheu e viabilizou nosso livro. Hoje, mais tarde, a Livraria Martins Fontes abrigará nosso lançamento.  Milhares de pessoas estão sabendo desse lançamento graças ao trabalho da Presença Propaganda; e nossos vídeos foram realizados pela equipe da Fractals Produções na Livraria HQ MIX. Muita gente comemorando. E há nossos familiares, colaboradores, amigos, centenas de conhecidos, alunos que através das redes sociais multiplicaram esse acontecimento. Muita gente! Tanta, que daria para brincar e sambar na Avenida Paulista.

…É hoje o dia

Da alegria

E a tristeza não pode pensar em chegar!

Diga espelho meu!

Diga espelho meu se há na avenida alguém mais feliz que eu…

Desde já, um super OBRIGADO para todos, incluindo nesses aqueles que, de longe, não estarão fisicamente, mas estão torcendo pelo êxito da empreitada. Se alguém está indeciso, se alguém ainda não sabia, vale lembrar o puxador de samba e conclamar todos para a grande festa:

– Atenção comunidade! A hora é esta…

O local é a Livraria Martins Fontes, na Avenida Paulista, 509, a partir das 18h30.

.

Até mais tarde!

.

Belas peças, Fernandinho!

Fernando Brengel arrasa no material de divulgação do nosso livro, “Um profissional para 2020”. Liderando a Presença Propaganda, vem colocando um precioso material em nossas páginas sociais. Quero registrar aqui e, tenho certeza, que a gratidão que sinto é compartilhada pelos demais autores do livro. E, já que o Brengel é um grande publicitário, nada como lembrar um mega sucesso em forma de agradecimento: – Bonita camisa, fern… ops! Belas peças, Fernandinho!

.

Presença Propaganda

.

Presença Propaganda

.

Presença Propaganda

.

.

A diagramação, capa e todas as peças de divulgação são da Presença Propaganda. Obrigado, Fernando Brengel. Muito obrigado, pessoal da agência.

.

Até mais.

.

Lembrete:

O lançamento do livro será na próxima quarta-feira, 19.09.12, a partir das 18h30, na Livraria Martins Fontes, São Paulo-SP, Av. Paulista, 509.