“Miragem” nos 35 anos de Octavio Cariello

miragem

Imperdível: Octavio Cariello apresenta projeto para viabilização via Catarse. Miragem é uma coleção de trabalhos desenvolvidos em mais de três décadas. Há desenhos, esboços, ilustrações para jornais e revistas, capas de várias publicações, Histórias em Quadrinhos, fontes de letras, logotipos e caricaturas…

Se você ajudar com a publicação deste livro, estará colaborando com a comemoração dos 35 anos da carreira de um dos desenhistas mais talentosos do país. Para quem ainda não conhece, transcrevo abaixo a autoapresentação do artista.

miragem2

“Sou de Recife, mas mudei para São Paulo há 30 anos; trabalho com design, ilustração e Quadrinhos, tenho dois romances, algumas poesias e uns pares de contos publicados. Fui fundador da Fábrica de Quadrinhos (Estúdio e Escola) e da Quanta Academia de Artes, onde trabalhei como coordenador geral dos cursos até 2007, quando saí da sociedade, mas permaneço no corpo docente da entidade. Dou aulas de narrativas gráficas, anatomia humana, perspectiva e Histórias em Quadrinhos na Pandora Escola de Arte, em Campinas, no Canvas Studio e Escola, em Piracicaba, e na Quanta Academia de Artes, em São Paulo.

Ilustrei matérias para jornais como O Rei da Notícia, Folha de S. Paulo, o Estado de S. Paulo, D.O. Leitura, o Globo e Debate, e revistas como Veja, Exame, Super Interessante, Marie Claire, Dragon Magazine, Show Bizz, Sandman e Jovem Pan, no Brasil. Tive vários Quadrinhos publicados nos EUA e por aqui também. Fiquei conhecido, em território nacional, por desenhar HQs do Amigo da Onça, dos Mamonas Assassinas, do Homem-Cueca, dos Casseta e Planeta e Sport Gang, e escrever roteiros para HQs do Quebra-Queixo.

miragem3

Alguns dos meus personagens já ganharam páginas de jornais e revistas em território nacional: “Delete” (da série Eon, da qual faz parte a saga de Portais), na revista Metal Pesado, “Derenian” (também da mesma saga), na Porrada! Special, e “Mofo” (desenhada por Gabriel Bá), no álbum Fábrica de Quadrinhos 2001. Com Eduardo Schaal, criei o logo da série de TV “As aventuras de Tiazinha” e participei da equipe de design que cuidou dos efeitos especiais. Com Alain Voss, criei o logo da série Sport Gang. Fui o criador do logo do Mundo Canibal. Para editoras americanas, pintei páginas da série “The Queen of the Damned” (da obra de Anne Rice, para a Innovation), e desenhei Wolverine (Marvel), Bloodchilde (Millenium), Lovecraft (Malibu), Black Lightning (DC), Trancers (Malibu) e Deathstroke (DC). Recentemente, pintei as páginas da adaptação de Rei Lear (Nemo).

Para participar, clique aqui, e veja as possibilidades de adesão e as contrapartidas aos colaboradores.

Até mais!

“Portais”, de Antognioni e Cariello

PORTAIS 0

Evidência imediata em “Portais” é a profusão de lugares e personagens. Com texto de Octavio Cariello e desenho de Pietro Antognioni, “Portais” é história em quadrinhos, primeiro trabalho da dupla. Coerente com a proposta delineada pelo título, o texto ágil de Cariello vai de um lugar para outro, somado ao desenho preciso de Antognioni. Vilões e mocinhos atuam em tempo e locais específicos para, no momento seguinte, continuar a ação em outro local em dois mil anos antes ou nove mil anos depois.

Cariello exercita corajosamente a síntese construindo uma narrativa que lembra mosaicos, fractais na composição de uma extensa aventura. Um desafio à atenção do leitor facilitado pelo desenho de Antognioni. Este acompanha as mudanças abruptas do texto com farta utilização de cores e formas. Ficção para público adulto – informação constante já na capa – “Portais” é para quem foge de narrativas lineares, com ações tradicionalmente atreladas ao espaço e ao tempo. Estes estão multifacetados, mas construídos com o cuidado que permite ao leitor a visão geral tanto do tema quanto da história.

O álbum ainda conta com participações especiais em simpático anexo denominado “galeria de pinapes”. Nesta encontram-se as visões de grandes artistas sobre as personagens de “Portais”. Entre os vários participantes estão Roger Cruz, Leo Gibran, Alex Shibao e o próprio Cariello que, é bom lembrar, está entre os melhores desenhistas deste país. Também  em outro anexo há um passo-a-passo de como a obra foi feita. Um dado interessante para os interessados, principalmente estudantes, no processo de trabalho da dupla.

PORTAIS 1
Uma das peças de divulgação utilizadas na fase inicial do projeto

A publicação de “Portais” pela editora Terracota tornou-se possível via financiamento coletivo, também dito “crowdfunding”. Por isso já esta nas mãos daqueles que participaram na viabilização da obra. O lançamento oficial para todo o público será no próximo dia 26, 19h00, na Quanta Academia de Artes. (Endereços e telefones em http://www.quantaacademia.com). Imperdível para fãs do gênero, boa oportunidade para todos aqueles interessados em propostas que fogem ao óbvio.

Até mais.

.

“Portais” um projeto em quadrinhos

Tenha uma ideia concreta do potencial desses artistas.
Tenha uma ideia concreta do potencial desses artistas na página já finalizada.

Os tempos são outros e há saídas para propostas culturais que vão além dos interesses meramente comerciais. A produção de grandes artistas sempre esteve condicionada aos interesses de mecenas, produtores e mais recentemente aos objetivos de marketing e comunicação de grandes empresas. Novas possibilidades surgem através de ações coletivas, onde grupos de pessoas interessadas em uma forma de arte ou em um artista podem financiar a produção de livros, peças de teatro, discos, HQs, etc. A dominação cultural elitizada pode virar apenas história.

Octavio Cariello é um grande artista. Cariello já é velho conhecido deste blog (clique). Ao lado de Pietro Antognioni, Cariello lançou “Portais”, um projeto de quadrinhos para viabilização através de financiamento coletivo, através do Catarse.

Contar uma história em forma de ficção-científica épica pareceu uma ideia perfeita pra lidar com heróis, transformações, profecias, eventos históricos e relações sociais sem virar uma coisa chata e batida. “Portais” tem muita coisa inspirada em outras HQs, filmes, séries e livros; a gente quer contar uma história legal, com personagens bacanas que se esforçam em entender seu papel na história” escreveu sobre o projeto o próprio Cariello, autor do texto que está sendo ilustrado Pietro Antognioni.

Portais” é a história de dois irmãos gêmeos que lutam pelo trono deixado por seu pai. A guerra vai acontecer e terá várias tribos envolvidas, além de cinco pessoas teleportadas de tempos e dimensões diferentes. Ao final, o leitor saberá o que eles tem em comum.

mais uma página de "Portais"
mais uma página de “Portais”

A dupla anda postando fichas dos personagens do projeto em página do Facebook e a obra, finalizada está prevista para abril de 2014. Há várias possibilidades de participação e os detalhes estão disponíveis abaixo.

Conheça a página do projeto no Facebook, clicando aqui.

Veja os detalhes do projeto e as formas de participação clicando aqui.

Conheça um pouco mais sobre financiamento coletivo clicando aqui.

Eu apoio este projeto. O talento de Cariello é incontestável e certamente “Portais” será mais um êxito na carreira dele e de seu companheiro de jornada.

.

Boa semana para todos.

.

Novas oportunidades para bons projetos

Silvana Santos foi minha aluna e hoje é uma empreendedora que, em Campinas, no interior de São Paulo, desenvolve novo trabalho. Fico feliz em poder divulgar o empreendimento; para que conheçam e para que possam analisar possibilidades de trabalho com a nova empresa.

Desejando boa sorte para todos os envolvidos, optei por transcrever o material enviado pelos jovens empresários. Certamente, falam com maior propriedade sobre as possibilidades de obtenção de investimentos para bons projetos; leiam e, quem sabe, não esteja aí uma grande oportunidade!

Campinas ganha seu primeiro site de financiamento coletivo

Sucesso nos Estados Unidos em e alguns países da Europa, os sites de financiamento coletivo – ou colaborativo –, conhecidos como “crowdfunding”, já possuem suas versões brasileiras. E, em maio. Campinas ganhará seu primeiro site com o lançamento da “Soul Social”, que já nasce com vários projetos importantes em seu portfólio de negócios.

O crowdfunding tem por objetivo financiar projetos que precisam de verba para que possam ser realizados. Sejam eles de cunho cultural, social, esportivo, ambiental, esses projetos ganham uma chance real de saírem do papel para efetivamente serem executados através do financiamento coletivo. A Soul Social pretende oferecer todo o Know-how para dar apoio técnico às pessoas físicas e organizações que queiram levar adiante seus projetos.

Utilizando o bom exemplo de outras plataformas e aperfeiçoando as ferramentas para as necessidades de sustentabilidade das organizações, a Soul Social busca inovar na utilização do poder do coletivo, trabalhando para estabelecer parcerias duradouras com as pessoas e com as organizações para assim se tornar uma referência, uma ponte, um caminho conhecido entre os projetos e seus financiadores.

A ferramenta básica para que os projetos consigam arrecadar o dinheiro necessário é a capacidade das pessoas de se conectarem e se comunicarem através das novas tecnologias. É por isso que os sites de financiamento coletivo só se tornaram possíveis agora, quando o fenômeno das redes sociais cresce de forma vertiginosa, chegando a todos os níveis sociais, criando uma força viral de propagação das informações.

São os contatos da rede social do idealizador do projeto que fomentam a força da colaboração e garantem a viabilização da ideia. Divulgado nas redes sociais, o projeto busca o apoio das pessoas, que escolhem o valor da contribuição dentro de uma escala pré-estipulada pelo idealizador do projeto.

As contribuições são feitas através de meios de pagamento virtuais em ambientes seguros, por cartão ou boleto, sendo que as operações por cartão são, em geral, as mais comuns. Contudo, o valor aportado só vai para a conta do projeto quando o mínimo previsto é efetivamente arrecadado, garantindo a execução do projeto. Caso contrário, são estornados ao colaborador. Na maioria das vezes, os colaboradores recebem contrapartidas do projeto, dependendo do valor por ele despendido.

A ferramenta de arrecadação fica por conta do site, que, para tanto, soma ao valor total do projeto uma pequena porcentagem por essa facilitação. Dezenas de projetos já foram  viabilizados dessa maneira em outras plataformas existentes, como, por exemplo, o projeto para rodar o documentário sobre Belo Monte, dando provas de que o sistema é confiável e veio para ficar.

Para o mês de lançamento estão em construção projetos de cunho social, esportivo e cultural, a maioria deles com foco na cidade de Campinas.

Há negociações em andamento com o Instituto Meta Social, de Campinas, que luta pela inclusão social do deficiente, em especial à pessoa com Síndrome de Down e cunhou o lema “Ser Diferente é Normal”, para o financiamento de uma série de programas de televisão chamado “Ser Diferente”.

Ainda, um projeto para o financiamento da produção do CD Nove Luas do jornalista, poeta, músico e compositor campineiro Nilson Ribeiro. Uma discussão com as ONGs ADUS – Instituto de Reintegração do Refugiado de São Paulo, com o COMEC – Centro de Orientação ao Adolescente de Campinas, com o Instituto Ide e Ensinai de Vitória da Conquista e com os Expedicionários da Saúde de Campinas, que se interessaram pelo uso da plataforma.

Além desses projetos, está em andamento uma parceria com a Central de Cooperativas e Empreendimentos Solidários – UNISOL Brasil, entidade nacional, presente em 23 estados, que representa mais de 700 empreendimentos econômicos solidários e está sediada em São Bernardo do Campo. Trata-se de um projeto de co-financiamento de projetos de empreendimentos inscritos no Programa de Investimento Solidário que receberão apoio financeiro parcial da instituição e farão a captação do restante por meio da Soul Social.

A plataforma será lançada no dia 07/05 e novos projetos deverão ser inscritos através do site.

www.soulsocial.com.br

%d blogueiros gostam disto: