Tags

, , ,

Silvana Santos foi minha aluna e hoje é uma empreendedora que, em Campinas, no interior de São Paulo, desenvolve novo trabalho. Fico feliz em poder divulgar o empreendimento; para que conheçam e para que possam analisar possibilidades de trabalho com a nova empresa.

Desejando boa sorte para todos os envolvidos, optei por transcrever o material enviado pelos jovens empresários. Certamente, falam com maior propriedade sobre as possibilidades de obtenção de investimentos para bons projetos; leiam e, quem sabe, não esteja aí uma grande oportunidade!

Campinas ganha seu primeiro site de financiamento coletivo

Sucesso nos Estados Unidos em e alguns países da Europa, os sites de financiamento coletivo – ou colaborativo –, conhecidos como “crowdfunding”, já possuem suas versões brasileiras. E, em maio. Campinas ganhará seu primeiro site com o lançamento da “Soul Social”, que já nasce com vários projetos importantes em seu portfólio de negócios.

O crowdfunding tem por objetivo financiar projetos que precisam de verba para que possam ser realizados. Sejam eles de cunho cultural, social, esportivo, ambiental, esses projetos ganham uma chance real de saírem do papel para efetivamente serem executados através do financiamento coletivo. A Soul Social pretende oferecer todo o Know-how para dar apoio técnico às pessoas físicas e organizações que queiram levar adiante seus projetos.

Utilizando o bom exemplo de outras plataformas e aperfeiçoando as ferramentas para as necessidades de sustentabilidade das organizações, a Soul Social busca inovar na utilização do poder do coletivo, trabalhando para estabelecer parcerias duradouras com as pessoas e com as organizações para assim se tornar uma referência, uma ponte, um caminho conhecido entre os projetos e seus financiadores.

A ferramenta básica para que os projetos consigam arrecadar o dinheiro necessário é a capacidade das pessoas de se conectarem e se comunicarem através das novas tecnologias. É por isso que os sites de financiamento coletivo só se tornaram possíveis agora, quando o fenômeno das redes sociais cresce de forma vertiginosa, chegando a todos os níveis sociais, criando uma força viral de propagação das informações.

São os contatos da rede social do idealizador do projeto que fomentam a força da colaboração e garantem a viabilização da ideia. Divulgado nas redes sociais, o projeto busca o apoio das pessoas, que escolhem o valor da contribuição dentro de uma escala pré-estipulada pelo idealizador do projeto.

As contribuições são feitas através de meios de pagamento virtuais em ambientes seguros, por cartão ou boleto, sendo que as operações por cartão são, em geral, as mais comuns. Contudo, o valor aportado só vai para a conta do projeto quando o mínimo previsto é efetivamente arrecadado, garantindo a execução do projeto. Caso contrário, são estornados ao colaborador. Na maioria das vezes, os colaboradores recebem contrapartidas do projeto, dependendo do valor por ele despendido.

A ferramenta de arrecadação fica por conta do site, que, para tanto, soma ao valor total do projeto uma pequena porcentagem por essa facilitação. Dezenas de projetos já foram  viabilizados dessa maneira em outras plataformas existentes, como, por exemplo, o projeto para rodar o documentário sobre Belo Monte, dando provas de que o sistema é confiável e veio para ficar.

Para o mês de lançamento estão em construção projetos de cunho social, esportivo e cultural, a maioria deles com foco na cidade de Campinas.

Há negociações em andamento com o Instituto Meta Social, de Campinas, que luta pela inclusão social do deficiente, em especial à pessoa com Síndrome de Down e cunhou o lema “Ser Diferente é Normal”, para o financiamento de uma série de programas de televisão chamado “Ser Diferente”.

Ainda, um projeto para o financiamento da produção do CD Nove Luas do jornalista, poeta, músico e compositor campineiro Nilson Ribeiro. Uma discussão com as ONGs ADUS – Instituto de Reintegração do Refugiado de São Paulo, com o COMEC – Centro de Orientação ao Adolescente de Campinas, com o Instituto Ide e Ensinai de Vitória da Conquista e com os Expedicionários da Saúde de Campinas, que se interessaram pelo uso da plataforma.

Além desses projetos, está em andamento uma parceria com a Central de Cooperativas e Empreendimentos Solidários – UNISOL Brasil, entidade nacional, presente em 23 estados, que representa mais de 700 empreendimentos econômicos solidários e está sediada em São Bernardo do Campo. Trata-se de um projeto de co-financiamento de projetos de empreendimentos inscritos no Programa de Investimento Solidário que receberão apoio financeiro parcial da instituição e farão a captação do restante por meio da Soul Social.

A plataforma será lançada no dia 07/05 e novos projetos deverão ser inscritos através do site.

www.soulsocial.com.br