O Ridico e o Lambrecado

O cérebro, que desconhece os limites do ir e vir, leva-nos para muito além do espaço e do tempo e, para isso, enche nossas noites de sonhos. Tempos de reclusão imposta ao corpo, dei de sonhar com gentes da minha infância, cenários já desfeitos por reformas e mudanças. É incrível a quantidade de imagens reservadas…

Pombinha branca

De muito longe vem a voz que me traz a canção. Tento ouvir com nitidez, determinar o timbre A divisão, o andamento. Reconhecer a tessitura com precisão… Em vão. A canção está no pensamento e, a voz, no coração. Embalou um, embalou dois, Embalou seis filhos! Distraiu netos enquanto os banhava Vestia, perfumava. Em vão…

Finados: Todos seremos!

E a experiência me garante que este título deve gerar incômodo. Vivemos como se a morte fosse para os outros, que ela não nos chegará e vivenciamos cotidianamente o alheamento ao assunto. A vida é bela, estamos aí e nada pode interromper a energia que corre plenamente em nossas veias levando nosso coração a pulsar….

Laura

Estarei distante neste aniversário de mamãe. Este ano, sem festa, lembramos o encontro do ano que passou e quero registrar o momento feliz da D. Laura com os filhos e a mais nova bisneta. Feliz aniversário, mamãe! Que Deus abençoe e dê saúde, paz e alegrias para nossa mãe. Até mais!

Duas canções para Laura

Há canções que me levam para a infância; uma delas é “colcha de retalhos”; minha mãe enfrentando bravamente a dureza do dia a dia com música nos lábios. A voz de minha mãe é de soprano, bem suave e doce. Como a voz de Inhana que casa tão bem com os graves de Cascatinha. Sussuarana…

Mãe!

  Para todas as mães, para a minha mãe! Todo o carinho do mundo. Beijos.

A mão sobre minha fronte

Lá onde o céu é azul Alem do Rio Grande Uma luz tênue de vela Roga aos céus, apela Alguém! Esse alguém é minha mãe; sempre pronta e disposta a rezar por todos nós. Ladainhas, terços, rosários… Antes, mais jovem, mamãe acendia velas para todos os santos. Sempre por nós; os filhos, os netos e,…