Ramiro! Um garoto na contramão.

 

Foto Joao Caldas Fº_19836press.jpg
Neusa de Souza, Roberto Arduin, Conrado Sardinha, Rogério Barsan e Isadora Petrin. Foto: João Caldas

Gente de teatro é meio louca, dizem. Vai ver têm razão, já que é preciso uma boa dose de insanidade para estrear uma peça infantil anticonsumo no Dia da Criança. Faz um ano que Ramiro iniciou sua trajetória por palcos da capital paulista tendo realizado temporadas também em Maringá, no Paraná e em Campina Grande, na Paraíba. Faz um ano que estreamos oficialmente no bairro Sapopemba, no dia da criança, em um projeto de educação financeira visando ensinar crianças e seus responsáveis a administrar o suado dinheirinho que entra com dificuldade e sai feito água no ralo.

Ramiro, o garoto que criei, quer o mundo em forma de brinquedos. E a peça gira em torno do fato de que a vida não é bem assim. Um ano depois e Ramiro continua nos palcos paulistanos. Certamente transformado via uma mudança aqui, um corte ali, sem contar o próprio amadurecimento de cada ator no domínio do ofício que burila e descobre nuances em personagens e cenas. Mas é dia de aniversário de Ramiro, o menino quer presentes – o que leva a personagem a ter identificação com o público infantil – e as demais personagens vão brincar e tentar ensinar ao garoto a necessidade de economizar, investir, planejar…

Pensar que o Dia da Criança surgiu por vontade de um político, por volta de 1920, me faz pensar em apelação ordinária, em busca de votos via sentimentalismo barato. A data adquiriu sua sina consumista pela ação de duas empresas, uma indústria de brinquedos e outra com forte linha de produtos infantis. Vamos vender muito em todos os 12 de outubro e deixar para novembro, dia 20 para ser preciso, a reflexão sobre a Declaração Universal dos Direitos da Criança, data que lembra o dia em que a Unicef proclamou os tais direitos infantis.

Ramiro tem direitos e alguns deveres também. O mais difícil provavelmente é aprender a conter a ambição em ter tudo, redescobrir o lado bom de brinquedos simples, valorizar as relações de amizade e parentesco. As reações são diversas e normalmente a plateia infantil se mostra inquieta. Coloque-se no lugar de quem quer o máximo do que o mercado oferece e assiste um trabalho que prega contenção de gastos… Trabalho difícil, mas que nosso pessoal vem defendendo com raça e brilho.

Neusa de Souza, Roberto Arduin e Rogério Barsan trazem o lúdico para a cena, jogando com elementos simples que transformam ambientes e situações. Suas personagens conduzem a ação e são responsáveis pelo desenvolvimento da peça. Isadora Petrim faz afetivo contraponto ao primo, brincando de ser a prima mais amadurecida, companheira no crescimento do primo. Conrado Sardinha é o garoto Ramiro, fazendo este de tal maneira que encanta e ganha a cumplicidade da plateia.

Nossa Produtora Sonia Kavantan nos propiciou a música de Flávio Monteiro, os cenários de Djair Guilherme, os figurinos e adereços de Márcio Araújo, as fotos de João Caldas, a identidade visual criada por Fernando Moser com  ilustrações de Octavio Cariello, a assistência de Milka Master e Lilian Takara. Companheiros do elenco em toda a jornada, Tiago Barizon administra, William Gutierrez opera som e André Persant faz a luz, criada por Ricardo Bueno. Realização da Kavantan Projetos e Eventos Culturais, com patrocínio da VISA e da Lei de Incentivo à Cultura.

Hoje não há bolo de aniversário, nem salgadinhos, docinhos, refrigerantes. Há meu carinho, imenso, por toda essa gente que vem trabalhando nessa montagem. E muita gratidão. A mensagem de “Um Presente Para Ramiro” é uma minúscula gota na contramão do consumo desejado pelo mundo capitalista. Mas somos gente de teatro e por isso insistimos. E não desistiremos nunca!

Até mais!

A TURMA DE “UM PRESENTE PARA RAMIRO”

ensaio para post.jpg

Volta e meia me perguntam o motivo de estar sem escrever neste blog. – Muito trabalho, respondo. – Graças a Deus!  Agora está na hora de vir aqui e contar que temos novo trabalho teatral em fase final de montagem.

“Um Presente Pra Ramiro” é mais um capítulo da minha história ao lado de Sonia Kavantan, nossa produtora; reitera minha parceria com Flávio Monteiro que assina a direção musical, e entre artistas, técnicos e demais profissionais, promove reencontros e encontros muito especiais.

Lá de longe, sem nunca termos nos distanciado, volto a ter a participação de Octavio Cariello na minha carreira teatral. De longe também, quando só nos falávamos via redes sociais, veio  Flávio Amado, agora nosso assistente de direção, assim como lá da universidade, de um tempo em que foi minha aluna, veio o reencontro com a atriz Neusa de Souza.

De edições anteriores do Arte na Comunidade vieram os atores Conrado Sardinha e Rogério Barsan para contracenarem, em “Um Presente Para Ramiro”, ao lado de Roberto Arduin e Isadora Petrin, atores com os quais trabalho pela primeira vez. Somando experiência de vários trabalhos, da equipe da Kavantan, Projetos e Eventos Culturais, estão presentes Lilian Takara, Milka Beatriz e Thiago Barizon.

Até aqui a equipe com a qual trabalho diariamente. Nos falamos cotidianamente e convivemos algumas horas pessoalmente, outras tantas virtualmente. Há outros profissionais envolvidos que apresentarei brevemente. Neste primeiro momento optei pelos velhos parceiros e pela turma de todo dia, de horas intensas vivenciadas na sala de ensaio. Temos pensado e vivido “Um Presente Para Ramiro” com intensidade, com a ansiedade que um trabalho de porte exige e com a alegria e o prazer de estar em algo que amamos fazer.

Há muito por contar e é o que farei em próximos posts; acompanhe por aqui todos os detalhes e a programação da montagem.

Patrocinado pela Visa, “Um Presente Para Ramiro” é uma realização da Kavantan, Projetos e Eventos Culturais, Ministério da Cultura e Governo Federal.

Até mais!

Guarujá na Mostra Teatral do Arte na Comunidade

Guarujá. No dia 18 de outubro, domingo próximo, Sher Holl estará na Praça 14 Bis com a peça BRINCANDO ENTRE A SERRA E O MAR. Texto e direção de Valdo Resende, o espetáculo é parte da Mostra Teatral do Projeto Arte na Comunidade 3. Rogério Barsan é Sher Holl e, com ele, os outros quatro personagens que percorreram as cidades da Baixada Santista através do Arte na Comunidade: Jack Lee, Nenê Cambuquira, Tuca Poderosa e Juju. No mesmo dia, a apresentação da peça A CONDESSA E O BANDOLEIRO. Veja a programação abaixo, anote data e horário e compareça. Entrada Franca.arte na comunidade 3_mostra teatral_Guaruja

Patrocinado pela Alupar e Taesa e apoiado pela ELTE – Empresa Litorânea de Transmissão de Energia, o projeto Arte na Comunidade 3 está nas cidades de Cubatão, Guarujá, Praia Grande, Santos e São Vicente. Realização: – Kavantan & Associados, Ministério da Cultura e Governo Federal. Brasil – Pátria Educadora.

Meus colegas de trabalho

Ernani, Gigi, Fabíola, Bruno e Rogério.
Ernani, Gigi, Fabíola, Bruno e Rogério.

Dessas coisas que acontecem por múltiplas razões… Nestes últimos meses estive, como agora estou, trabalhando em Santos. Tive encontros com todas as figuras acima e, no máximo, encontrei três deles na mesma ocasião. Hoje tivemos nosso primeiro encontro coletivo e fiz questão de registrar tal momento: os cinco atores do Arte na Comunidade 3 estão juntos e, começando hoje, estamos preparando o evento de encerramento do nosso projeto.

Na foto acima meus colegas de trabalho: Ernani Sequinel nos representou em São Vicente; Gigi Fernandes levou o projeto até Cubatão; Fabíola Moraes é nossa atriz em Praia Grande; Bruno Fracchia brincou de ser mineiro em Santos e Rogério Barsan atuou no Guarujá. Todos trabalhando com muita competência e, sobretudo, talento.

Certamente teremos oportunidade de incluir todos os participantes deste projeto em uma foto. Sonia Kavantan, Flávio Monteiro, Lilian Takara, Leandro Taveira, Zecarlos Gomes, Milka Beatriz, Alessandro Machado… Enquanto esse momento não chega, registro o encontro de hoje, como marco da etapa conclusiva de um trabalho que me deixa feliz e muito satisfeito.

Meus caríssimos companheiros de trabalho.
Meus caríssimos companheiros de trabalho.

Das qualidades que considero em profissionais de qualquer área estão a dedicação, o envolvimento responsável, a pontualidade, a ética, o companheirismo e, sobretudo, a generosidade em dividir e compartilhar cada etapa da ação. E é o que desejo registrar desses colegas, agradecendo profundamente: Obrigado, companheiros!

Até mais.

 

As três estreias da semana

Felizes após estreias em Praia Grande e São Vicente, já estamos prontos para Santos, Guarujá e São Vicente
Felizes após estreias em Praia Grande e São Vicente, já estamos prontos para Santos, Guarujá e São Vicente

Lá vamos nós, Sonia Kavantan e eu, para concretizar mais uma etapa do Arte na Comunidade 3. Após as apresentações em Praia Grande e São Vicente, amanhã e sábado estaremos em Santos, Guarujá e Cubatão. Para registrar, para lembrar, para guardar, uma síntese de cada uma das peças. Informações mais aprofundadas estão no blog do Arte na Comunidade. Aqui estamos registrando nossa história neste projeto; começou no Pará e no Maranhão, passou por Minas Gerais e agora está no litoral paulista. 

SANTOS 

NENÊ CAMBUQUIRA, UM MINEIRO EM SANTOS

20150810_172235
Bruno Fracchia é Nenê Cambuquira.

Da origem do nome da cidade aos mais recentes craques do Santos F.C., a peça “Nenê Cambuquira, um Mineiro em Santos” faz uma ode à cidade sob a ótica de um simpático mineirinho, nascido em Cambuquira, cidade vizinha de Três Corações, onde nasceu Pelé. Nenê não se torna um jogador de futebol, mas um aprendiz de escritor que escolhe Santos para viver. O autor, Valdo Resende, mineiro de origem, compartilha e brinca com o amor de seus conterrâneos por bondes, pelo mar e pelos belos monumentos históricos de Santos.

Nesta sexta, dia 14, será a estreia de “Nenê Cambuquira, um Mineiro em Santos” na casa de Frontaria Azulejada. Uma feliz coincidência já que antes mesmo da escolha do local o atual centro cultural já estava citado no texto. A peça, interpretada por Bruno Fracchia, tem música de Flávio Monteiro e figurino de Alessandro Machado. 

GUARUJÁ 

SHER HOL DESVENDA O GUARUJÁ

Rogério Barsan brinca com o nariz que usará em "Sher Hol Desvenda o Guarujá"
Rogério Barsan brinca com o nariz que usará em “Sher Hol Desvenda o Guarujá”

O charme e a beleza das praias do Guarujá colocam em plano secundário uma história cheia de fatos incríveis e grandes personagens. Sher Holl é um garoto, aprendiz de detetive que recebe tarefas para merecer uma carteirinha profissional. Vai desvendar o Guarujá com recursos folclóricos como adivinhas e trava-línguas e lembrar a passagem de Hans Staden pela região, além de apontar questões atuais para manutenção da beleza e da qualidade do meio ambiente.

Com muita brincadeira e interatividade, “Sher Hol Desvenda o Guarujá”, interpretada por Rogério Barsan, tem estreia no próximo sábado, dia 15, na Praça 14 Bis, às 9h30.

CUBATÃO 

TUCA PODEROSA BRINCA EM CUBATÃO

Gigi Fernandes, em ensaio para fazer "Tuca Poderosa Brinca em Cubatão"
Gigi Fernandes, em ensaio para fazer “Tuca Poderosa Brinca em Cubatão”

Tuca é uma garota que gosta da ideia de ser quiromante, mas atrapalha-se toda ao desvendar questões mínimas do dia a dia. Enquanto brinca, mostra seu amor pela cidade e conta a história de Cubatão com muita brincadeira e interatividade.

Do homem do sambaqui às tribos indígenas que povoaram a região, comprova-se a importância de Cubatão na formação da região. Através de relatos de viajantes, como Rudiard Kypling, destaca-se a importância econômica através das grandes indústrias e da posição geográfica estratégica, permeada por diferentes vias de transporte. “Tuca Poderosa Brinca em Cubatão”, interpretada por Gigi Fernandes ainda destaca a recuperação da região nas questões ambientais.

Estes eventos, produzidos pela Kavantan & Associados, abrem o Projeto Arte na Comunidade 3 na Baixada Santista. Na semana seguinte começarão uma série de apresentações da peça exclusivamente para as escolas do município cumprindo objetivo fundamental que é estimular a criatividade dos alunos através da criação e contação de histórias.

Anote e compareça em nossas apresentações:

DIA 14 DE AGOSTO, SEXTA-FEIRA, ÀS 14h – SANTOS – CASA DE FRONTARIA AZULEJADA. Entrada franca.  Teatro: NENÊ CAMBUQUIRA, UM MINEIRO EM SANTOS, com Bruno Fracchia. 

DIA 15 DE AGOSTO, SÁBADO, ÀS 9h30 – GUARUJÁ – PRAÇA 14 BIS (VICENTE DE CARVALHO). Entrada franca.  Teatro: SHER HOL DESVENDA O GUARUJÁ, com Rogério Barsan. 

DIA 15 DE AGOSTO, SÁBADO, ÀS 15h – CUBATÃO – PARQUE ANILINAS (CENTRO). Entrada franca.  Teatro: TUCA PODEROSA BRINCA EM CUBATÃO, com Gigi Fernandes.

Texto e direção: Valdo Resende

Patrocinados pela Alupar e Taesa e apoiado pela

ELTE – Empresa Litorânea de Transmissão de Energia, o projeto

Arte na Comunidade 3 está nas cidades de

Cubatão, Guarujá, Praia Grande, Santos e São Vicente.

Realização: – Kavantan & Associados, Ministério da Cultura e

Governo Federal. Brasil – Pátria Educadora.

Reservem Estas Datas!

Logomarca

O Arte na Comunidade 3 está chegando na Baixada Santista com cinco momentos de diversão para toda a família. Todos estão convidados! A entrada é franca. Praia Grande, São Vicente, Santos, Guarujá e Cubatão receberão diversas atrações e terão a seguinte programação teatral:

DIA 8 DE AGOSTO, SÁBADO, ÀS 14h – PRAIA GRANDE – PRAÇA MARIA DO CARMO DA SILVA (TUDE BASTOS). Entrada franca.  Teatro: JUJU E UM GRANDE AMOR: PRAIA GRANDE, com Fabíola Moraes.

DIA 9 DE AGOSTO, DOMINGO, ÀS 10h – SÃO VICENTE – Praça da UBS (Rua Alfredo das Neves – Humaitá). Entrada franca. Teatro: JACK LEE E AS QUATRO BATALHAS DE SÃO VICENTE, com Ernani Sequinel.

DIA 14 DE AGOSTO, SEXTA-FEIRA, ÀS 14h – SANTOS – CASA DE FRONTARIA AZULEJADA. Entrada franca.  Teatro: NENÊ CAMBUQUIRA, UM MINEIRO EM SANTOS, com Bruno Fracchia.

DIA 15 DE AGOSTO, SÁBADO, ÀS 9h30 – GUARUJÁ – PRAÇA 14 BIS (VICENTE DE CARVALHO). Entrada franca.  Teatro: SHER HOL DESVENDA O GUARUJÁ, com Rogério Barsan.

DIA 15 DE AGOSTO, SÁBADO, ÀS 15h – CUBATÃO – PARQUE ANILINAS (CENTRO). Entrada franca.  Teatro: TUCA PODEROSA BRINCA EM CUBATÃO, com Gigi Fernandes.

Texto e direção: Valdo Resende

Marquem dia, hora e local. Aguardamos vocês. Nos próximos dias, neste blog, mais detalhes sobre cada evento.

Até lá!

Um Momento Especial

Fotos menores, Arte 1,  no Pará. Sonia Kavantan produzindo e eu, conhecendo o tacacá. Na foto maior, em Prata, em Minas Gerais, no Arte na Comunidade 2.
Fotos menores, Arte 1, no Pará. Sonia Kavantan produzindo e eu, conhecendo o tacacá. Na foto maior, em Prata, Minas Gerais, no Arte na Comunidade 2. O Arte na Comunidade 3 está quase pronto.

Estou fazendo teatro na Baixada Santista. A terceira edição do Arte na Comunidade. Um orgulho e um privilégio em contar com uma produção extremamente cuidadosa (Obrigado, Sonia Kavantan!) e em atuar com atores da maior qualidade, todos das cidades da região.  Com Bruno Fracchia, Ernani Sequinel, Fabíola Moraes, Gigi Fernandes e Rogério Barsan  faremos seis trabalhos, cada um com tema e título distintos, em cada uma das cidades contempladas. Todas as montagens estão reunidas sob o nome BRINCANDO ENTRE A SERRA E O MAR.

Escrevo menos aqui porque estou redigindo o blog do projeto, onde esboçamos um diário da montagem. Quem puder, agradeço a leitura (basta clicar aqui);  lá estamos contando o dia a dia do nosso trabalho, ao mesmo tempo em que informamos todos os eventos que ofereceremos nas próximas semanas.

De repente dei-me conta de que a vida me propiciou, com o Arte na Comunidade 3, uma belíssima oportunidade para festejar um momento especial, ocorrido lá em Uberaba, em 1975. Sim, neste ano de 2015, especificamente no mês de dezembro, comemoro quarenta anos de teatro. A festa, pelo visto, será no litoral.

Sempre fico indeciso quando penso em comemorações.  Há muita coisa para considerar e renasce, por experiências passadas, o receio de que algo impeça o evento. Assim resolvi deixar que as coisas acontecessem por si e… Tem dado certo. A grandiosidade de uma comemoração não está no tamanho da festa, mas na intensidade do que é feito para festejar cada momento da vida.

Com as seis montagens que realizaremos na Baixada Santista, especificamente nas cidades de Cubatão, Guarujá, Praia Grande, Santos e São Vicente,  lembrarei que comecei a fazer teatro há 40 anos. Foi no distante dezembro de 1975, em um dos salões da sede da pastoral de Uberaba, juntamos várias mesas em um palco improvisado e estreamos nosso “Auto da Esperança” (escrevi sobre esse momento aqui). Sem pensar em grande festa particular, tenho este próximo momento como dádiva divina por todo o caminho percorrido.

Estamos em fase final de montagem. Para os leitores que me dão a honra lendo este blog peço que fiquem atentos. Aqui e no https://blogartenacomunidade.wordpress.com/  teremos todos os detalhes das nossas atividades litorâneas.

Até mais!

%d blogueiros gostam disto: