Tudo vazio, a cidade cheia de gente

Mosteiro de São Bento, Rio de Janeiro.
MOSTEIRO DE SÃO BENTO – RIO DE JANEIRO

Hoje poderá ser um dia muito diferente para a história brasileira. Aqui, no Rio de Janeiro, não se fala em outra coisa. A manifestação nacional por um país melhor enche todos de esperança. Parece que os lugares ficarão vazios para que as ruas sejam tomadas por toda a gente.

MAR - Museu de Arte do Rio
MAR – Museu de Arte do Rio

Tenho passeado por alguns lugares, encontrado muita gente e essas fotos, de dias anteriores, são registros de momentos raros em que uma sala ou parte de uma sala ficou assim, sem visitantes. E é assim, vazio, que eu espero que fique hoje o novo MAR – Museu de Arte do Rio, mesmo com sua belíssima exposição,

MUSEU NACIONAL DE BELAS ARTES
MUSEU NACIONAL DE BELAS ARTES

Também espero que os seguranças não tenham nada além da vigília silenciosa. É dia de protesto, não de destruição. No Museu Nacional de Belas Artes, bem no calor da visita papal, está a exposição  “A Herança do Sagrado: Obras-primas do Vaticano e de museus italianos”. Amanhã, certamente, as filas voltarão ao imponente museu.

MUSEU VILLA-LOBOS
MUSEU VILLA-LOBOS

Em Botafogo, bem que algum aluno da escola do Museu Villa-Lobos poderia fazer voltar o som do piano do maestro e compositor, colocando um som diferente para as palavras de ordem… Se o silêncio permanecer em favor do barulho das ruas… tudo bem.

TEATRO MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO
THEATRO MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO

E é aqui, nas imediações do Theatro Municipal que, dizem, a coisa vai pegar. Estou torcendo para que tudo fique bem. Vou lá, ver como é que carioca faz passeata. Depois… bem, depois que liberarem as estradas volto para casa, minha São Paulo que, tudo indica, também está fervilhando.

Até mais!

.

Quem canta, canta João Bosco!

“-Topas encarar esse concurso?” Cantar as canções de João Bosco. É isso! Só que há que ser no mínimo ótimo para cantar composições solo ou aquelas feitas, por exemplo, em parceria com gente do naipe de Aldir Blanc.

Se fosse só uma pergunta – Quem é o melhor intérprete de João Bosco? – em uma brincadeira dessas que a gente faz em tardes chuvosas, ainda sim seria um páreo duro. Eu sugiro um empate triplo: Elis Regina, Zizi Possi e o próprio João Bosco, que canta como ninguém suas próprias criações.

João Bosco é o grande homenageado da 23ª edição do Prêmio da Música Brasileira. Criado por José Maurício Machline, ao longo de todos esses anos o evento já homenageou a nata da música brasileira:  o ano  passado foi Noel Rosa. Antes dele, gente como Vinicius de Moraes. Dorival Caymmi, Elizeth Cardoso, Luiz Gonzaga, Gilberto Gil, Elis Regina, Milton Nascimento e muitos outros.

Entre as homenagens para João Bosco foi preparado um concurso para intérpretes das canções do grande mestre. Não pense que são próprias apenas as vozes tipo Elis e Zizi. Se você tem um vozeirão à Clementina de Jesus, Maria Alcina ou Ângela Maria, pode encarar. E é claro que se o próprio João Bosco está entre os grandes intérpretes de suas canções, todos os rapazes podem soltar a voz.

Está no site do evento: “Grave sua interpretação em vídeo de uma das canções deste grande ícone da Música Brasileira, publique no Youtube e envie o link para nós, não aceitamos videoclip, o candidato deve estar cantando a canção no momento da gravação. Se você gosta da obra de João Bosco e não tem discos gravados pode participar. O grande vencedor receberá um prêmio em dinheiro e um troféu no palco do Theatro Municipal do Rio de Janeiro ao lado dos grandes nomes da música brasileira!”

Olha que chance! Você cantando “Corsário” no palco do Theatro Municipal do Rio de Janeiro e, de repente, vai que a Zizi Possi resolve subir e cantar junto? E já pensou, você cantando “Memória da Pele” perante Maria Bethânia? Pensando bem, não é uma boa idéia. Nessas, elas superam até o próprio João Bosco. E também, não vá cair na besteira de se achar “a bala que matou Kennedy” tentando levar a grana com “O Bêbado e o Equilibrista”! Essa, malandro, só mesmo a Elis Regina.  Agora, vamos à outras possibilidades…

Se você canta, mas canta mesmo, ataque de “Bala com bala”, “Cobra criada”, ”Linha de passe”… Essas são para quem tem excelente domínio da arte de interpretar. Outra possibilidade para grandes intérpretes é a de dar a própria versão de canções, diria eu, inusitadas, que só autores da categoria de João Bosco são capazes de criar; são músicas para quem tem verve humorística, como “A nível de…”, “Abigail caiu do Céu” e por aí vai.

João Bosco é muito bom, ótimo. Dentro das próprias possibilidades vocais, tornou-se um intérprete impar para canções como “Jade” ou “Papel Machê”. Agora há uma boa chance para os cantores que estão em início de carreira, ou aguardando uma boa oportunidade. Portanto, entre no site, cumpra o regulamento, grave a canção e saia divulgando para todo mundo. Pode ser que, por essas tramas da sorte, você não ganhe o prêmio; todavia, ser capaz de cantar bem as canções de João Bosco já é um feito e tanto. Boa sorte!

.

Bom final de semana para todos.

.

As canções citadas:

Corsário – João Bosco – Aldir Blanc

Memória da pele – João Bosco – Waly Salomão

O Bêbado e o equilibrista – João Bosco – Aldir Blanc

Bala com bala – João Bosco – Aldir Blanc

Cobra criada – João Bosco – Paulo Emílio

Linha de Passe – João Bosco, Paulo Emilio – Aldir Blanc

A nível de… – João Bosco – Aldir Blanc

Abigail caiu do céu – João Bosco – Aldir Blanc

Jade – João Bosco

Papel Machê – João Bosco – Capinan

Três vezes Portinari

Vai começar hoje a exposição “Guerra e Paz, de Portinari” aqui em São Paulo, no Memorial da América Latina; para nós, o tal público comum, a abertura será amanhã, dia 7. Outro dia, 19, Candido Portinari será tema da Mocidade Independente, homenagem da escola de samba carioca ao pintor paulista, nascido em Brodowski. Também lembramos a morte do artista, ocorrida em 6 de fevereiro de 1962. Três motivos mais do que suficientes para reverenciar Portinari.

“Guerra” e “Paz” são dois grandes murais pintados por Portinari, encomendados pelo governo brasileiro para presentear a sede da ONU – Organização das Nações Unidas. Foram feitos entre 1952 e 1956 e têm, aproximadamente,  14m de altura por 10m de largura. A obra ficou exposta em local de acesso restrito e nem com visitas guiadas ela pode ser vista. O sonho de torná-la mais próxima dos brasileiros tornou-se possível quando anunciaram a reforma da sede, em Nova York.

O governo brasileiro resolveu bancar os trabalhos de restauração da obra de Portinari e, com isso, garantiu a permanência da mesma entre nós, enquanto durar os trabalhos na sede da ONU. Assim, a restauração ocorreu de fevereiro a maio de 2011, no Palácio Gustavo Capanema, no Rio de Janeiro. Os trabalhos foram abertos ao público, com entrada franca e os painéis foram restaurados por uma equipe de 18 restauradores, sob coordenação do Professor Edson Motta Jr., da Universidade Federal do Rio de Janeiro e de Claudio Valério Teixeira.

Após exposição no Rio de Janeiro, no Theatro Municipal, os painéis de Portinari estarão expostos em São Paulo, de 6 de fevereiro até 21 de abril. Dia 6 para convidados, dia 7 para todo o público paulistano. A entrada é franca e, além dos dois painéis, os interessados poderão conhecer os estudos preparatórios feitos por Portinari para a realização da obra.

“Por ti, Portinari, rompendo a tela, a realidade” 

…VOCÊ QUE DO MORRO FEZ VIDA REAL

PINTOU NOSSOS LARES NUM LINDO MURAL

VOCÊ, RETRATANDO A ALMA, SE FEZ IDEAL

MEU SAMBA CANTA MENSAGENS DE “GUERRA E PAZ”

SEU NOME SERÁ IMORTAL EM NOSSO CARNAVAL

No Rio de Janeiro, ainda neste mês, a Mocidade Independente de Padre Miguel canta a vida de Portinari em verso e samba, muito samba. Os compositores de “Por Ti, Portinari, Rompendo a Tela, a Realidade” são Diego Nicolau, Gabriel Teixeira e Gustavo Soares; o intérprete é Luizinho Andanças.

O carnavalesco Alexandre Louzada pretende levar todas as cores e formas de Portinari para a avenida. É a escola que anuncia: “Através de suas mais importantes obras, mostraremos a trajetória deste artista que acima de tudo retratou em seus quadros e murais, a história, o povo e a vida dos brasileiros, através dos traços fortes e vigorosos carregados de dramaticidade e expressão.”

O Brasil inteiro poderá ver o desfile da Mocidade Independente, no dia 19 próximo. Será a quarta escola a entrar no Sambódromo. Milhares de paulistanos terão a oportunidade de visitar a exposição de Portinari no Memorial da América Latina. Duas vezes Portinari. Uma terceira, da maior importância, é a visita que todos podem fazer AGORA ao site que disponibiliza a vida e obra do artista.

Em http://www.portinari.org.br/ temos a oportunidade de ver milhares de obras do artista, assim como documentos relacionados às mesmas. Devidamente catalogadas e registradas, as obras de Portinari estão acessíveis por temas, técnica, cronologia e, algo muito bom para pais e professores, uma sessão inteira dedicada ao público infantil. Uma galeria especial com obras específicas que poderão interessar ao universo da criança, além de jogos e histórias com “Candinho”, o Portinari menino feito para brincar com os visitantes mirins.

O site, a exposição (terça a domingo, das 9h às 18h) e, no domingo de carnaval, o desfile. Só não tem memória quem não quer. A obra de Portinari está aí, acessível, enriquecendo nossa sensibilidade e ampliando o nosso conhecimento.

 .

Boa semana para todos.

.