São Paulo, 42 anos!

Eulindo, pronto pra ser feliz! A cidade faz 467, eu sei! Todavia ela “nasceu minha” quando após atravessar bairros distantes o ônibus tomou a Marginal Tietê. Estava amanhecendo e o sol inundava outdoors coloridos, informando para o jovem ansioso uma prévia do que estava por vir: peças de teatro, shows, lançamentos imobiliários, novos carros, liquidações.... Continuar Lendo →

São Paulo, cidade de romance

Um trecho dos tantos sobre São Paulo em “dois meninos - Limbo”, para expressar todo o amor por nossa cidade. Feliz aniversário, São Paulo! ...  Para um mineiro que não gosta das coisas passageiras, a solução possível foi seguir o fluxo evitando ventos que provocavam barreiras intransponíveis. Morei no Alto de Pinheiros, na Vila Mariana,... Continuar Lendo →

Presentes para São Paulo

Nuvens densas, sinal de chuva certa e, de repente, o avião sobrevoa a cidade. No mar de cimento sobressaem edifícios, pedras de impreciso e caótico dominó. Será que iremos parar? A pista será suficiente? A reversão assusta e a nave, impassível, desliza até o ponto de parada. Amanhã é dia de festa. Aniversário da cidade.... Continuar Lendo →

O que está sendo feito por São Paulo?

Como é possível ter problemas com água estando em um país com doze bacias hidrográficas? Desde criança estudamos geografia e, orgulhosos, guardamos as informações das imensas riquezas nacionais; a água está entre elas. Por conta disso, mais a influência indígena na nossa cultura tomamos um, dois banhos ou mais por dia. “- Somos pobres, mas... Continuar Lendo →

São Paulo feito gente

Aniversário da cidade como aniversário de gente. Vontade de manifestar carinho Desejo de abraçar gostoso Estreitar laços, reforçar sentimentos. . Canções e versos alegrariam São Paulo; Bolos e doces saciariam a cidade. Flores suavizariam seus imensos cinzas... . Muitos sonham São Paulo limpa Outro tanto, silenciosa; Sem congestionamentos. . Aniversário da cidade como aniversário de... Continuar Lendo →

Versos de Mário de Andrade para comemorar São Paulo

Fazendo o caminho contrário dos Bandeirantes, pela via de mesmo nome ou pela Anhanguera, sempre me senti em São Paulo quando o ônibus ou o carro corria paralelo ao Rio Tietê. Sei, por anos de estrada, que a paisagem urbana é vista a partir do quilômetro 31 da Rodovia dos Bandeirantes. Cidades periféricas, os primeiros... Continuar Lendo →

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: