Estou a ver navios

Não sei de onde vem o fascínio pelo ir e vir de navios que, nesse momento da vida, tenho observado entrando ou saindo pelo canal marítimo que liga o oceano ao porto de Santos. Talvez da infância quando, em dias de muita chuva e enxurradas, meu irmão Valdonei e eu fazíamos barquinhos de papel que,... Continuar Lendo →

Nei Rozeira, “que a nossa emoção sobreviva”!

Há 39 anos, através de um comentário crítico publicado em um jornal, Nei Rozeira entrava em minha vida com um texto simpático sobre a montagem “Era uma vez... aonde vamos?” que fiz com o Grupo Caroço. Encantado com tal trabalho, Nei nos abriu os braços, o coração e não demorou nada para abrir-nos também a... Continuar Lendo →

A maior!

Semana em que Elis Regina e Nara Leão estão em foco na mídia brasileira. Que ótimo relembrar e homenagear essas artistas extraordinárias. Nas diferentes matérias sobre as duas cantoras invariavelmente recai sobre Elis o adjetivo maior. “A maior!”. Ninguém discorda; nem deve, nem pode. No entanto... Provavelmente por sermos subdesenvolvidos, nós, brasileiros, tenhamos essa coisa... Continuar Lendo →

Ciranda pra Janaína

Iemanjá, orixá do perdão e do amor incondicional, é conhecida por vários nomes; alguns desses em música de Pedro Amorim e Paulo César Pinheiro, delicadamente interpretada por Maria Bethânia: Quanto nome tem a Rainha do Mar?Quanto nome tem a Rainha do Mar?Dandalunda, JanaínaMarabô, Princesa de AiocáInaê, Sereia, MucunãMaria, Dona Iemanjá Dona Janaína, ou simplesmente Janaína,... Continuar Lendo →

Eu nasci assim… com a coragem de quebrar padrões

A foto de Sonia Braga na Vogue online me leva a lembrar Caymmi com sua “Modinha para Gabriela”: Eu nasci assim, eu cresci assim, e sou mesmo assim, vou ser sempre assim... Um alvoroço na internet com a capa da revista. Tive a paciência de ler comentários prós e contras e, esses últimos, com frequência... Continuar Lendo →

E Dona Fernanda disse!

O que leva uma atriz como Fernanda Montenegro a ter que afirmar a própria honestidade, em momento emocionado e tenso, e também a honestidade da classe que, sem dúvidas, representa? Em tempos conturbados, quando a maledicência sobrepuja o conhecimento e fala-se muito sem o necessário conhecimento de causa, fica a dúvida quanto ao que vem... Continuar Lendo →

Entre Jeanne e Brigitte

E lá se foi Jeanne Moreau. Com seu rosto doce, grandes e expressivos olhos. “Uma Mulher Para Dois”, “A Noite”, lembranças de filmes dos anos de 1960. Acompanhava minha irmã Waldenia em cineclubes e fiquei impressionado com a moça francesa, a atriz talentosa. Todavia, eu era criança. E havia Brigitte Bardot, com pseudo ingenuidade em... Continuar Lendo →

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: