A Batalha do Conhecimento

“A batalha do conhecimento” é o segundo dos cinco textos do projeto Arte na Comunidade 2 que estou publicando neste blog. A segunda cidade, aqui o critério é alfabético, é Ituiutaba. “A batalha do conhecimento” foi interpretado por RONAN VAZ. As imagens são de THANERESSA LIMA e do meu arquivo pessoal.

Havendo interesse em reproduzir o texto ou interpretá-lo, peço a gentileza da citação da origem.

Organizado pela Kavantan & Associados, o projeto Arte na Comunidade 2 foi patrocinado pela Alupar e Cemig, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura e contou com o apoio das prefeituras de Ituiutaba, Canápolis, Monte Alegre de Minas e Prata.

A Batalha do Conhecimento

Original de  Valdo Resende

O CONTADOR ENTRA EMPURRANDO SUA MALA-BIBLIOTECA. DESTA SAI O SOM ALEGRE DE BATIDAS DE TAMBORES. TOCA UM “TAMBOR DE CONGADA” ENQUANTO PREPARA O AMBIENTE PARA CONTAR SUAS HISTÓRIAS. BATE NO TAMBOR E DIZ, APRESENTANDO UMA BANDEIRA DE CONGADA, COM A IMAGEM DOS DOIS SANTOS.

ITUIUTABA 1
(Ronan Vaz em foto de Thaneressa Lima – Divulgação)

– Salve São Benedito! Salve! Nossa Senhora do Rosário que Abençoe a todos nós! (PEGA UM BANQUINHO E SENTANDO-SE NO MESMO, PROSSEGUE) Não custa nada pedir proteção aos santos. Nada mesmo! E a gente nunca sabe o que vai acontecer logo ali, não é mesmo? Há muitas formas de pedir proteção e cada pessoa pede para quem acha que deve. Mas que ninguém nunca deixe de contar com a proteção do alto!

ITUIUTABA 2
(Ronan Vaz em foto de Thaneressa Lima – Divulgação)

(BENZE-SE E ACOMODA A BANDEIRA)

Senhoras e senhores, meninas e meninos de Ituiutaba! (TOCA O TAMBOR E FAZ MESURAS, ENQUANTO FAZ A AUTOAPRESENTAÇÃO) Meu nome é Autran Guimarães Cardoso! Muito Prazer! Estou agradecido pela carinhosa recepção. Quero, prioritariamente, apresentar a todos vocês o melhor lugar do mundo: Minha biblioteca! (PEGA UM LIVRO DE HISTÓRIA) Sou descendente direto de Chico Rei e guardo toda a história dos nossos antepassados que vieram do Congo! (PEGA OUTRO LIVRO) Conheço e posso contar a história de nossas tribos; suas lendas, seus costumes…  Construo com minha imaginação aquilo que está só nas entrelinhas da história e por isso naveguei com o capitão Gancho e seus piratas, lutei ao lado de Robin Wood e descobri os mistérios das escolas de Harry Potter! (PEGA MAIS UM LIVRO)… Neste livro aqui aprendo coisas, sobre quase tudo! Até sobre… Leite!

(APONTA PARA O LITRO DE LEITE; FOLHEIA O LIVRO, ANTES DE PROSSEGUIR)

ITUIUTABA 5
(Ronan Vaz em foto de Thaneressa Lima – Divulgação)

Para os nossos queridos professores o leite é um líquido branco, opaco, segregado pelas glândulas mamárias da fêmea dos mamíferos!(FAZ EXPRESSÕES DE ESTRANHAMENTO E PROSSEGUE). Para a grande maioria o leite é o líquido mágico que se transforma em… (BATE O TAMBOR) Pudim de leite! Chocolate ao leite! Doce de leite! Iogurte e Queijo! Ah! Muitos queijos! Prato, brie, camembert, muçarela, provolone, gorgonzola, roquefort, mascarpone, ricota, gruyére, parmesão e o mais querido, o mais amado, o mais gostoso: o queijo mineiro!

Aprendi tudo sobre queijos com um menino de Ituiutaba, o Camilo! Camilo! Um menino esperto, inteligente! Nunca teve uma vaquinha, mas sabia de leite porque colocou na cabeça que ia saber tudo de Ituiutaba. Se o leite é historicamente um dos principais produtos da cidade, Camilo sabe tudo sobre leite e seus derivados. E sabe também sobre arroz, sobre cana! Cana de açúcar! Cana de cadeia, não sei se sabe; cana de cachaça, acho que não, não sei. O certo é que Camilo sabia tudo de Ituiutaba e foi dele que ganhei esse tambor de congada, feito especialmente para celebrar a festa na cidade (BRINCA DE DANÇAR A CONGADA). Camilo é apaixonado pela cidade onde nasceu.

Camilo estudava na Escola Estadual João Pinheiro quando a professora, Dona Marília, inventou de fazer uma batalha dentro da sala. Uma batalha de conhecimento! A sala foi dividida em cinco grupos que deveriam estudar tudo sobre a cidade: geografia, história, folclore, economia, enfim, tudo! Em dia marcado pela professora os alunos passariam por uma batalha oral. Quando uma equipe não soubesse, aquele que acertasse ganharia os pontos. E o melhor, a equipe vencedora iria ganhar um monte de prêmios: Doces, livros, brinquedos e o prêmio maior: um final de semana inteirinho hospedados na fazenda Haras Barreiro, curtindo as belezas do maravilhoso museu da família Drummond.

Ninguém duvidava que Camilo fosse peça fundamental para a vitória de sua equipe. O menino sabia tudo e certamente sairiam vencedores, exceto por um problema. Um problema! Um único e seriíssimo problema (O ATOR DIRÁ GAGUEJANDO TODA A PRÓXIMA FRASE). Ca-mi-lo  e-ra  ga-go. To-tal-men-te  ga-go.  Ga-go!

Essa era uma grande preocupação do grupo de Camilo. A professora colocou como regra o tempo de 15 segundos para cada resposta. Imagine só! 15 segundos para Camilo responder, por exemplo, o que aconteceu de triste para a cidade em novembro de 1938? Marquem o tempo! (FINGE SER O MENINO E GAGUEJANDO, RESPONDE:) – No di-a 31 de ou-tu-bro de 1-9-3-8 um  vi-o-len-to  in-cên-dio  des-troi a Ma-triz de São Jo-sé!

A Matriz de São José, restaurada, é um dos pontos turísticos da cidade
A Matriz de São José, restaurada, é um dos pontos turísticos da cidade

O mais preocupado e apreensivo era o próprio Camilo. Tinha vergonha de gaguejar. Alguns colegas riam, outros pediam que respondesse depressa; o que o deixava mais gago ainda. Em casa, deixou de comer e começou a dormir mal. Quanto mais se aproximava o dia da batalha, mais o menino se angustiava. Com muito custo Dona Tereza, a mamãe do Camilo, conseguiu que ele falasse o que estava acontecendo. Muito custo mesmo! Gaguejando, Camilo levou mais de uma hora pra contar tudo! (IMITA O MENINO). – Va-mos ter u-ma ba-ta-lha de co-nhe-ci-men-to na es-co-la e eu es-tou com medo de falar na frente dos meninos! E chorou copiosamente no colo da mãe.

Dona Tereza, a mãe, foi falar com Dona Marília, a professora. (IMITANDO A MÃE) “Escuta aqui, Dona Marília, meu filhinho Camilo está sofrendo muito com receio de falar na frente da sala. Falar, não! De gaguejar!” A professora, antenada com tudo que há de bom nesse mundo, respondeu: “Não posso excluir o Camilo, minha senhora. A participação de todos é um fator preponderante na nossa escola…”

Aquele lero-lero não convenceu a mãe do menino, preocupada em proteger o garoto. E o dia da batalha chegando. Camilo, mesmo com medo de ga-gue-jar na fren-te dos co-le-gas, estudava mais e mais. Aprendia mais sobre os Rios Grande e Paranaíba, sobre os ribeirões São Lourenço e São Vicente e gostava especialmente de ler sobre os índios caiapós, tupis-guaranis, aratus… Estudou tudo do rio Tejuco! Seu potencial hidrelétrico e as possibilidades de melhorias na transformação regional. De vez em quando se imaginava na frente dos colegas. Na cabeça do menino a professora perguntava e a resposta vinha, fácil, fluente! (IMITANDO PROFESSORA E ALUNO). “- Camilo, quais são nossos municípios limítrofes?” e o menino: “- Gurinhatã, Ipiaçú, Capinópolis, Canápolis, Santa Vitória, Monte Alegre de Minas, Prata e (GAGUEJANDO) Cam-pi-na Ver-de (CHORA NO FINAL, COMO SE FOSSE O GAROTO)”.

(O ATOR BATE O TAMBOR DA CONGADA, RETOMANDO A CENA)

Chegou o grande dia! O dia da grande batalha do conhecimento. Quem sabe mais sobre Ituiutaba? Antes de sair de casa, Camilo tremia como se a batalha fosse de espadas, bombas atômicas; Dona Tereza, concordando com as atitudes da professora, sabia que o filho precisava de estímulo e antes que o menino saísse de casa, lembrou-lhe: (IMITA A MÃE) “- Meu filho, Winston Churchill, o grande estadista inglês gaguejava, assim como o cientista Charles Darwin! Isaac Newton gaguejava também! Vai lá e mostre o que você sabe. Gaguejando ou não!”

ITUIUTABA 4
(Ronan Vaz em foto de Thaneressa Lima – Divulgação)

A batalha foi emocionante. A sala de Dona Marília virou um grande campo onde o conhecimento era a principal arma. O grupo de Camilo foi derrotando os demais por um estratagema simples: quando a professora fazia uma pergunta para outro grupo, Camilo gaguejava, quer dizer, respondia para os colegas de sua equipe. Assim, os adversários não sabendo a resposta, era a equipe de Camilo a primeira a levantar a mão e a responder corretamente!.

Acontece que a professora exigiu, pelo regulamento, um rodízio dos alunos respondentes. Assim, na última pergunta, não teve como. Camilo teria que dar a resposta perante a sala ou sua equipe perderia. Grande tensão! Grande expectativa! Camilo tremia, ameaçava cair no choro quando dona Tereza lascou a pergunta: – Camilo, qual o significado de ITUIUTABA? Quinze segundos! Silêncio mortal e o nosso querido gaguinho não pestanejou:

(IMITANDO O GAROTO)

“-I, I, I, I, I rio. Tuiu, tuiu, tuiu, tu-iu… tijuco. Ta-ba, ta-ba, ta-ba, al-deia, ci-da-de.” A sala permaneceu muda e Camilo, vitorioso, respirou fundo e repetiu: (SEM GAGUEJAR): “ –  I – TUIU-TABA. Cidade do Rio Tejuco!” (O ATOR FAZ GRANDE COMEMORAÇÃO). Camilo é o maior! Camilo é o maior, Camilo é o maior!

Naquele dia, Dona Marília ensinou a maior lição que toda e qualquer pessoa deve saber: não há limite para o conhecimento. Não há limites para quem estuda e aplica aquilo que sabe, independendo de quais características a natureza deu ao indivíduo.

ITUIUTABA 3
(Ronan Vaz em foto de Thaneressa Lima – Divulgação)

(O CONTADOR ENCERRA SUA APRESENTAÇÃO COM UM AGRADECIMENTO. FECHA A SUA MALA BIBLIOTECA E SAI DE CENA).

Quatro vezes “Arte na Comunidade 2”

Dois dias intensos. Tanta atividade que 12 e 13 de abril passaram como se em dois segundos. Vi tucanos anunciando um sábado alegre na Praça XV de Novembro, em Prata, Minas Gerais. Seria uma manhã ensolarada e logo nossa equipe chegou com uma parafernália simples, mas vistosa. Tecidos coloridos, banners, panfletos, música…

Arte na Comunidade 2 - Cidade Canápolis - Fotos - Thaneressa Lima  (24)

O ambiente transformado, o som testado e Lilia Pitta contou como foi “O ataque dos Titanossauros” para adultos e crianças. A abertura do projeto “Arte na Comunidade 2” foi suave, mineiramente mansa.

Arte na Comunidade 2 - Cidade Prata - Fotos - Thaneressa Lima (7)

A primeira manhã transcorreu como previsto. Gente contando histórias no palco, gente contando histórias na praça. Mães lendo para os menores e crianças, já alfabetizadas, explorando os livros propiciados por nossa produção. Ambiente desmontado, a praça voltou ao seu cotidiano.

Almoço farto, mineiro! “Saco vazio não para em pé!”. E tomamos estrada rumo a Canápolis. A bela praça, acolhedora, recebeu as cores do projeto.

Arte na Comunidade 2 - Cidade Canápolis - Fotos - Thaneressa Lima  (23)

Nuvens carregadas, para nosso alívio, foram para longe e a tarde permaneceu ensolarada. José Luiz Filho subiu ao palco para desvendar “O enigma”.

Arte na Comunidade 2 - Cidade Canápolis - Fotos - Thaneressa Lima  (17)

Com nossa pequena biblioteca ambulante, com nossos tapetes coloridos para um pic-nic literário, contamos histórias para que cada um conte a sua, ou as suas histórias. O dia terminou sem muito tempo para avaliações; apenas a sensação de que tudo estava indo bem, dentro do previsto. A estrada estava aberta e tínhamos que prosseguir.

Arte na Comunidade 2 - Cidade Canápolis - Fotos - Thaneressa Lima  (4)

Noite de pizza, cama de hotel, café da manhã e o domingo em Ituiutaba chegou após uma madrugada chuvosa. Palco, som, caixas com fitas, tecidos, banners…

Arte na Comunidade 2 - Cidade Ituiutaba - Fotos Thaneressa Lima  (2)

Nossa produtora, Sonia Kavantan, abriu os trabalhos do dia. Foi nesse momento que pude observá-la melhor. Na primeira cidade, Prata, fiquei distante; assim como em Canápolis. A Praça Getúlio Vargas é um local bonito, permitindo-me ver também a entrada de Ronan Vaz.

Arte na Comunidade 2 - Cidade Ituiutaba - Fotos Thaneressa Lima  (3)

“A Batalha do Conhecimento” foi nossa terceira estreia nesse final de semana. Quem está habituado com teatro pode ter a noção do que seja isso. Tudo semelhante e nada é igual. Adrenalina pura.

Arte na Comunidade 2 - Cidade Ituiutaba - Fotos Thaneressa Lima  (8)

Todas as imagens deste post foram feitas por Thaneressa Lima.  Bom contar com uma fotógrafa que, além do registro de cada momento, ainda nos brinda com composições peculiares, fixando e fazendo-nos rever belos momentos.

Arte na Comunidade 2 - Cidade Ituiutaba - Fotos Thaneressa Lima  (10)

Tudo muito bem, tudo muito bom, mas… A chuva caiu sobre nossos veículos quando ainda estávamos na estrada, rumo a Monte Alegre de Minas. Nossa produção foi ágil e rapidamente tínhamos outras possibilidades para a cidade.

IMG_3042

A chuva não passou e Marcelo Ribas levou “O Inventor de histórias” em local fechado. O público da cidade não se abalou com a chuva e nosso ator inseriu a mudança de local na encenação.

IMG_3014

Pela quarta vez repetiu-se a cena: crianças lendo histórias, descobrindo autores e livros. Começava ali a concretização do objetivo primordial do projeto “Arte na Comunidade 2”: estimular a leitura e, principalmente, a contação de histórias.

IMG_3088

Dias assim, intensos, nem sempre tem registros completos. Minúcias, centenas de detalhes, outros acontecimentos… Pipoca, algodão doce! As araras com seu colorido espetacular enfeitando um pouco mais a Praça Nicanor Parreira; o sol, tão esperado, brindou-nos com um final de tarde maravilhoso.

foto final
Da esquerda para a direita: Thaneressa Lima, Sonia Kavantan, Thays Quadros, Letícia Teixeira, Marina Kavantan, Valdo Resende, Fredy Abreu (agachado), Erre Salviano, Marcelo Ribas, Lilia Pitta e Eduardo Bordignon.

A foto acima marca o final do evento de abertura do “Arte na Comunidade 2”, patrocinado pela  Alupar e Cemig por meio da Lei de Incentivo à Cultura – Ministério da Cultura. Já tínhamos as malas fechadas; os veículos prontos.

Dias intensos! Apenas o começo! Nossos atores estão por lá, continuando o projeto, agora com apresentações nas escolas municipais. Outras histórias para escrever, para contar.

Até mais!

.

Vamos nessa!

Ensaio Geral (49) para blog
(Valdo Resende. Foto Thaneressa Lima / Divulgação)

“Pintar, vestir
Virar uma aguardente
Para a próxima função
Rezar, cuspir
Surgir repentinamente
Na frente do telão
Mais um dia, mais uma cidade
Pra se apaixonar…”

E lá vamos nós. De mala, cuia, vontade e a certeza de ter feito todo o possível para que quatro cidades tenham o melhor de todos nós, equipe do ARTE NA COMUNIDADE 2. Prata, Canápolis, Ituiutaba e Monte Alegre de Minas! Vamos contar e ouvir histórias.

Várias viagens antecederam este final de semana. Todavia, a melhor viagem começa agora nos palcos de cada cidade, nas salas de aula de cada escola. Vamos ao encontro de adultos e crianças, de mestres e artistas regionais. Histórias para ouvir e contar, momentos para compartilhar.

“…Hora de ir embora
Quando o corpo quer ficar
Toda alma de artista quer partir…”

Um carinho especial para minha produtora, Sonia Cristina Kavantan; também registro sincera gratidão para a equipe da KAVANTAN & ASSOCIADOS, e para os demais colaboradores contratados para esta empreitada.  Finalmente, um agradecimento especial aos nossos patrocinadores, ALUPAR e CEMIG, que viabilizaram o ARTE NA COMUNIDADE 2

“…Voar, fugir
Como o rei dos ciganos
Quando junta os cobres seus
Chorar, ganir
Como o mais pobre dos pobres
Dos pobres dos plebeus
Ir deixando a pele em cada palco
E não olhar pra trás
E nem jamais
Jamais dizer
Adeus.”

Então, até mais!

Nota: os versos acima são da música ‘”Na carreira”, de Edu Lobo e Chico Buarque.

O elenco do ARTE NA COMUNIDADE 2

Quatro profissionais que atuam principalmente na região do Pontal de Minas estão no elenco do ARTE NA COMUNIDADE 2. Conheça-os, na ordem em que farão as apresentações no próximo final de semana.

No sábado de manhã, dia 12, das 9 às 11 horas, na Praça XV de Novembro, LILIA PITTA apresenta-se no Prata (MG), em “O ataque dos Titanossauros”.

Lilia Pitta (foto Thaneressa Lima /Divulgação)
Lilia Pitta (foto Thaneressa Lima /Divulgação)

Na tarde do mesmo sábado estaremos em Canápolis (MG). Das 16 às 18 horas, na Praça XIV de Julho, será a vez de JOSÉ LUIZ FILHO, interpretar “O enigma”.

blog José Luiz (43)
José Luiz Filho (Foto Thaneressa Lima/Divulgação)

Domingo, dia 13, o evento será em Ituiutaba, das 9 às 11 horas, na Praça Getúlio Vargas. RONAN VAZ é o intérprete de “A Batalha do conhecimento”.

Ronan Vaz (foto Thaneressa Lima/Divulgação)
Ronan Vaz (foto Thaneressa Lima/Divulgação)

Concluiremos a primeira etapa do ARTE NA COMUNIDADE 2 em Monte Alegre de Minas. Será no domingo, dia 13, das 16 às 18 horas na Praça Nicanor Parreira. Lá, MARCELO RIBAS apresentará “O Inventor de Histórias”.

Marcelo Ribas (Foto Thaneressa Lima/Divulgação)
Marcelo Ribas (Foto Thaneressa Lima/Divulgação)

Arte na Comunidade 2 é patrocinado pela  Alupar e Cemig por meio da Lei de Incentivo à Cultura – Ministério da Cultura.

Até mais!

.

 

Coloque na agenda: “Arte na Comunidade 2”

Abaixo a arte dos convites para o ARTE NA COMUNIDADE 2, publicados nos jornais da região.

ANÚNCIO PARA PUBLICAR

 

.

anúncio para publicar 2

Espero encontrar e reencontrar todos os amigos que moram por lá.

Até mais!

.

“Arte na Comunidade 2” em Minas Gerais

ARTE NA COMUNIDADE 2
Detalhe de uma apresentação em Santa Maria, no Pará.

O projeto “Arte na Comunidade 2” está no Triangulo Mineiro. Tive o privilégio de trabalhar na primeira versão desse evento idealizado pela Kavantan & Associados; fui o autor da peça “Vai que é bom, o casamento do Pará com o Maranhão”. Na ocasião levamos a montagem para diversas cidades dos dois estados; a peça teatral foi um entre outros elementos motivadores para incitar debates e encontros entre artistas e agentes culturais.  O projeto teve ampla aceitação e dele guardamos imenso aprendizado.

Agora em Minas Gerais, o “Arte na Comunidade 2” leva o teatro como incentivador para as novas gerações de uma grata prática mineira: a “contação de histórias”. Serão visitadas quatro cidades, escolha feita em acordo com a ALUPAR, a empresa patrocinadora: Canápolis, Ituiutaba, Monte Alegre de Minas e Prata. Nessas cidades ocorrerão apresentações em praças públicas no lançamento do projeto; em seguida, outras apresentações serão feitas em escolas da rede pública, quando serão iniciadas as oficinas de criação de textos.

“Histórias do Pontal de Minas” é denominação geral para quatro montagens de contação de histórias. Os quatro textos tem como tema as cidades participantes e um quinto texto aborda o Triangulo Mineiro. Posteriormente escreverei sobre os detalhes do lançamento do projeto. Neste momento quero enfatizar um dos aspectos mais interessantes desta ação, que é trabalhar com artistas, técnicos e demais profissionais regionais.

Em Ituiutaba, a produtora  analisando possibilidades para o evento.
Em Ituiutaba, a produtora analisando possibilidades para o evento.

Sonia Kavantan realiza diversos projetos que valorizam artistas de diferentes regiões do Brasil; “Mestres do Futuro”, por exemplo, é um trabalho que aproxima mestres artesãos de jovens através de cursos que garantem a continuidade do artesanato praticado por esses mestres. No projeto “Arte na Comunidade” a ênfase vai para os profissionais de artes cênicas de cada região.

Estou feliz e honrado com o convite de Sonia Kavantan; sou mineiro que volta a trabalhar em Minas como autor e diretor; tenho já a certeza de uma preciosa parceria com a atriz, e também diretora, Letícia Teixeira, que aceitou a assistência de direção neste projeto. Os atores que farão as montagens já estão definidos: Lilía Pitta, Deferson Melo, José Luiz Filho e Ronan Vaz.

Estamos intensificando os trabalhos e em breve teremos nosso encontro com os habitantes do Prata, Monte Alegre de Minas, Ituiutaba e Canápolis. Muitas outras histórias virão e, com certeza, dividirei algumas, as melhores, por aqui.

Até mais!

.