Avigrama Para Vinícius

Vinícius-de-Moraes

“Se me perguntarem o que é a minha pátria, direi: 
Não sei”.

Tive a ilusão de sermos um

A origem sendo não mais que geografia.

No entanto quem, quantos somos?

E quanta diferença há entre nós!

Reconhecendo lutas separatistas,

– São só interesses financeiros!

Não mensurava a própria ingenuidade.

“Tenho-te no entanto em mim como um gemido 
De flor”;

 Vejo-te árvore imensa que abastece,

Propicia sombra reflorescendo sempre.

Sinto-nos frutos similares,

Em todas as fases desses

Às vezes amargos, outras vezes doces,

E desprendidos de seus galhos

Voltamos à terra e renascemos

Filhos da mesma árvore,

Componentes da mesma floresta

Habitando serrado ou caatinga

Redivivos em restingas, pantanais.

 “Pátria minha… A minha pátria não é florão, nem ostenta 
Lábaro não; a minha pátria é desolação “

Durmo pensando-te pátria amada,

A patriazinha do poeta

Que sabia não seres mãe gentil.

Receio ainda manter a ingenuidade…

Sobretudo, por ter aprendido a amar-te,

Insisto na esperança

Acredito no amanhecer límpido

Abrindo caminhos retos

Levando-nos a porto seguro.

Sonho, um dia, o país Brasil.

.

Valdo Resende, 30/05/2018

No meio da rua

20150625_110340.jpg

Exilado na multidão

sou silêncio e segredo, e venho

quando os outros vão.

(Lêdo Ivo)

.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.

Um haicai quando na rua de ferro da Água Branca.

Até mais!

O Pensamento

IMG_20160526_123933

O ar. A folha. A fuga.

No lago, um círculo vago.

No rosto, uma ruga.

(Guilherme de Almeida)

.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.

Primeiro haicai de dezembro.

Até mais!

 

Rota

 

DSC06631.JPG

Que arda em nós

tudo quanto arde

e que nos tarde a tarde.

(Olga Savary)

.-.-.-.-.-.-.-.-.-.

Um haicai para determinar caminhos.

Até mais!

Leminski

cruzeiro (2)

a noite – enorme

tudo dorme

menos teu nome

(Paulo Leminski)

.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.

E o tempo escoa breve, como haicai

Crédito da foto: Flávio Monteiro

Até mais!

 

Haicais de estrada

 

 

20160728_162311.jpg

Por que explicar?

aguente o fardo

Em silêncio.

why explain?

bear burdens

In silence.

(Jack Kerouac)

.-.-.-.–.-.-.-.

Na estrada, o poeta americano faz haicai.

Até mais!

Millôr

çlk

Não é segredo.

Somos feitos de pó, vaidade,

E muito medo.

(Millôr Fernandes)

.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.

Um haikai para manter na real.

Até mais!