Outras viagens

BANZO Diante desse marzão que assustaCom seus mistérios e movimentos constantes,ondas incertas sob sol escaldantepenso nas montanhas de Minasnos chapadões da minha terra.Não sendo daqui, sabendo que não voltarei para lásinto-me estrangeiro em todo cantoe trago constantemente na bagagemUm pouco de tristeza, nostalgia e saudade. Recife, verão de 2014 QUARTO DE HOTEL Agora, quando distante... Continuar Lendo →

O Artbook54 e o meu ego

  Sorry! Folhear um trabalho como o Artbook54, de um artista como Octavio Cariello, e deparar-se com a própria imagem é para jogar o ego lá pra estratosfera. Então... lá estou eu entre personagens reais e imaginários; um, entre muitas personalidades desenhadas, esboçadas ou recriadas em divertidas caricaturas desse artista genial. E não são só... Continuar Lendo →

Sonia Braga, outra vez! E sempre!

Indivíduos da minha geração sabem o que é uma “tirada de blusa” de Sonia Braga. Furacão moreno que seduziu o mundo, a atriz, sempre coerente com suas personagens nunca nos privou da beleza exuberante, gostosa, sem artifícios. Depois de muito tempo voltei ao cinema para ver a atriz em Aquarius e, nos primeiros momentos de... Continuar Lendo →

“Miragem” nos 35 anos de Octavio Cariello

Imperdível: Octavio Cariello apresenta projeto para viabilização via Catarse. Miragem é uma coleção de trabalhos desenvolvidos em mais de três décadas. Há desenhos, esboços, ilustrações para jornais e revistas, capas de várias publicações, Histórias em Quadrinhos, fontes de letras, logotipos e caricaturas... Se você ajudar com a publicação deste livro, estará colaborando com a comemoração... Continuar Lendo →

Inverno proletário, ou um beijo pra Caymmi

Saudade da Bahia eu tenho é no frio; Salvador e também, Maceió, Recife... Nesse gelo paulistano Morro de saudade do Piauí Sonho com São Raimundo Nonato Não quero mais morar aqui. . O mundo bem que podia ser equilibrado. Melhor clima é o temperado, Sem gente molhada de suor Sem infelizes tiritando gelados, Implorando chocolate,... Continuar Lendo →

O que falta para quem destrói estátuas?

Tenho profundo respeito e admiração por alguns artistas pernambucanos. Uma paixão que vem da adolescência quando, através da música de Chico Buarque, conheci a poesia de João Cabral de Melo Neto. Muito antes disso recordo, bem criança, minha mãe cantando Luiz Gonzaga. Quando comecei a gostar de Maria Bethânia conheci a música de Antonio Maria... Continuar Lendo →

O Recife que aprendi a amar

O Recife que aprendi a amar É cidade de poeta; Um poeta. Manuel Bandeira! Sem Pasárgada. Esta fica para outro dia. Vou-me embora pra Recife e levo, na bagagem, outros versos de Bandeira que, com prazer, divido com quem me honra visitando e lendo este blog. Teu corpo... a única ilha No oceano do meu... Continuar Lendo →

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: