O Vai e Vem da Memória, de Valdo Resende, é convite para uma viagem de descobertas: se corajoso o suficiente para embarcar, o leitor se surpreende e se transforma.

Por Simone Gonzalez "Esse ir e vir também alude aos trens nos trilhos da Mogiana" Em As Cidades Invisíveis, de Ítalo Calvino, o imperador mongol Kublai Khan exige que o aventureiro Marco Polo descreva as diversas cidades pelas quais ele supostamente teria passado. Visto que negar algo a Kublai Khan provavelmente lhe custaria a vida,... Continuar Lendo →

A memória somos nós

Por Fernando Brengel Lembro perfeitamente do dia em que, montado no meu possante carrinho de rolimã, saí em último e cheguei em primeiro. Mal senti o sabor da vitória. Um capote cinematográfico no final da ladeira em que tirávamos o racha me levou a conhecer um balde de Merthiolate e uma dor terrível. Posso senti-la... Continuar Lendo →

Uma senhora rua, no Bixiga!

Nossa rua, esse movimentado "sanduíche de vento" Quem diria! Vou lançar meu livro “O vai e vem da memória” na rua onde nasci, em Uberaba, e na rua onde moro, no Bixiga. Este é conhecido oficialmente como Bela Vista, um antigo bairro da capital, São Paulo. É representativo e impossível não mexer com minhas emoções.... Continuar Lendo →

Nada mais universal que a memória

Por Flávio Monteiro O livro "O vai e vem da memória" é uma coleção de crônicas e contos escritos por Valdo Resende sobre sua querida cidade natal, Uberaba, durante vários anos de vai-e-vens entre esta e São Paulo, onde fixou residência. Os textos foram organizados sem ordem cronológica, hierarquias de importância ou grupos temáticos; assim... Continuar Lendo →

De volta à rua onde nasci

Guardem essa data: 27 de novembro. Neste dia lançarei meu novo livro, “O vai e vem da memória”, em Uberaba, MG. O evento será a partir das 16h00, no Barroco Arte Café, que fica na Rua João Pinheiro, 213. Nasci nesta mesma rua, há muitos anos, no século passado... Estou feliz com essa oportunidade. Se... Continuar Lendo →

Contos de gente jovem

Quer saber o que pensam, como pensam, o que vai pela cabeça dos jovens? E, para isso, evitando os questionários frios, as manifestações forçadas por interrogatórios ou situações similares? Entre as possibilidades das respostas do que pensam, o que gostam, como se comunicam... Que tal um concurso de contos? O resultado é certeiro e pode... Continuar Lendo →

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: