João Bosco, o astro e uma fina ironia

Ontem vimos a volta da novela O Astro. Hoje é aniversário de JOÃO BOSCO. Certamente a abertura da novela não foi pensada como um presente para o compositor mineiro. Todavia, manter BIJUTERIAS, a música de JOÃO BOSCO & ALDIR BLANC na abertura da novela é mais que homenagem, é obrigação.  Melodia e letra se fundem para  caracterizar com maestria a personagem central proposta por JANETE CLAIR.

Em setembro,
se Vênus ajudar,
virá alguém.
Eu sou de Virgem
e só de imaginar
me dá vertigem…

E é com refinada ironia que a letra de ALDIR BLANC introduz o personagem, embalada na deliciosa melodia de JOÃO BOSCO. Não foi por acaso que ontem, no primeiro capítulo, o mago interpretado pelo grande FRANCISCO CUOCO entregou uma ametista ao “sucessor” RODRIGO LOMBARDI. Música e personagem estão casados, muito bem casados.

Minha pedra é a ametista,
minha cor, o amarelo,
mas sou sincero:
necessito ir urgente ao dentista.

Penso que a abertura de uma novela seja peça fundamental para o sucesso da trama. Isso quando o autor consegue mostrar em cada capítulo, tenha o folhetim 60 ou 200 episódios, uma face da proposta original. Um exemplo clássico é VALE TUDO, com a canção de CAZUZA interpretada por GAL COSTA. Na atual reprise do canal Viva, não consigo deixar de ver a abertura e ouvir GAL, melhor cantora de rock deste país, detonando um “Brasil” com seu incomparável talento. E talvez o sucesso da novela esteja nesse aspecto: a cantora intima: “Brasil, mostra a tua cara” e a cena acontece, com as falcatruas de um país marcado pela corrupção.

Afeita ao folhetim clássico, JANETE CLAIR também batia forte, “mas sem perder a ternura”. A autora deixou a receita de sucesso: “mande a personagem para o pelourinho”, o que vimos já no primeiro capítulo, com a prisão de Quintanilha. Mas as personagens de JANETE são heróis, mas sempre são seres humanos. A autora escreveu e a dupla JOÃO BOSCO & ALDIR BLANC confirma:

Tenho alma de artista
e tremores nas mãos.
Ao meu bem mostrarei
no coração
um sobre e uma ilusão.

Sessenta capítulos foram anunciados pela emissora de TV. E teremos a oportunidade de conviver com uma boa história, introduzida  por boa música na abertura. Novela é coisa de brasileiro. E por mais críticas que venham contra, fomos já fisgados pelo vício da boa história. E sempre que esta ocorrer, estaremos frente ao vídeo, curtindo; afinal, o JOÃO BOSCO aniversariante, unido ao genial letrista ALDIR BLANC, nos define com graça e ironia:

Eu sei:
na idade em que estou
aparecem os tiques, as manias,
transparentes
feito bijuterias
pelas vitrines
da Sloper da alma.  

Vamos lembrar a abertura original da novela?

Até!

(Publicado originalmente no Papolog)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s