Tags

, , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Algumas mulheres entram na vida da gente sem pedir licença; e ficam. Lá pelas tantas surge alguém, tipo Marlene Dietrich, que toma posse de parte do nosso cérebro, permanecendo para sempre na nossa lembrança.

Marlene Dietrich, inesquecível.

Marlene Dietrich, inesquecível.

Eu já havia assistido “Testemunha de Acusação”, provavelmente no TEU – o Teatro Experimental de Uberaba – quando anunciaram o filme na televisão. Na telinha a mulher misteriosa, cínica, instigante. Também mentirosa, fria, falsa. Mais ainda: fascinante, belíssima, sensual e forte, decidida.

Marlene Dietrich deu vida à personagem de Agatha Christie no filme que ainda tinha outro grande ator, Charles Laughton, além de um dos mitos de Hollywood, Tyrone Power. Depois de “Testemunha de Acusação”, fui descobrindo mais e mais sobre a atriz alemã, sua voz inconfundível, a beleza única de um rosto belíssimo e as pernas lendárias.

Sylvia Bandeira é a estrela de “Marlene Dietrich, as pernas do século”

Mágica teatral: Marlene Dietrich estará em São Paulo; a bela Sylvia Bandeira é a estrela da montagem “Marlene Dietrich, as pernas do século”, que estréia na cidade no próximo 30 de março; o texto é de Aimar Labaki e a direção de William Pereira. Uma síntese da sinopse do espetáculo:

No final da vida, já bem idosa, Marlene conhece um jovem que não faz a menor idéia de quem ela seja. Já às vésperas de completar 90 anos, ela acaba seduzindo o rapaz de uma forma bem diferente de quando brilhava absoluta no cinema e nos palcos. Se não conta mais com o frescor da juventude nem com as lendárias pernas, seu charme e inteligência estão mais vivos do que nunca, e somados a uma grande aliada: a memória. Ao narrar para o desavisado rapaz sua trajetória, a diva o envolve e o fascina por ter sido testemunha e personagem dos acontecimentos mais marcantes do século XX.”

Os acontecimentos são muitos. As duas Grandes Guerras; a ousadia da mulher que vestiu calça comprida; a cantora que vai para o front cantar para os aliados, após ter dito não aos convites de Hitler; a alemã que deixou sua terra e ganhou o mundo, sempre com idéias próprias e marcantes. Certamente também será lembrada a atriz dos diretores Josef Von Sternberg (“Anjo Azul”), Billy Wilder (Testemunha de Acusação) e muitos outros filmes europeus e americanos.

Depois da II Guerra Mundial cresce a carreira de Marlene Dietrich como cantora. Grava grandes nomes e faz-se acompanhar por ninguém menos que o maestro Burt Bacharah. Além do músico, também Eric Maria Remarque, Jean Gabin, Yul Bryner, Ernest Hemingway, Frank Sinatra e Cole Porter estão entre os homens que passaram pela vida da estrela.

Versões da capa do disco que contém "Luar do Sertão"

Um dos grandes discos de Marlene Dietrich foi feito no Brasil. Sim, ela veio por aqui e cantou no Rio de Janeiro, encontrou-se com Cauby Peixoto, Juscelino Kubitschek e mais algumas centenas de brasileiros, apaixonados por ela. No show, registrado em disco, um momento encantador quando ela canta, em bom português, a música “Luar do Sertão” (clique aqui e ouça a canção). Esse é um momento que não deve faltar na montagem sobre a vida de Marlene que estreia em São Paulo.

“Marlene, as pernas do século” estreou no Rio de Janeiro. O musical com Sylvia Bandeira ainda tem, no elenco, José Mauro Brant, Marciah Luna Cabral e Silvio Ferrari. No palco, embora esses tempos atuais, tomara que Sylvia venha com as baforadas sedutoras de um cigarro no canto dos lábios, com o charme e a beleza eternizada pela grande tela de uma das mulheres mais fascinantes de todos os tempos.

 .

Até Mais!

.

ANOTE:

Teatro Nair Bello, Shopping Frei Caneca – Rua Frei Caneca, 569 – 3° andar, sexta, às 21h30.     Sábado, às 21h. Domingo, às 18h. Telefone:  3472-2414.

.